Acervo universitário disponibiliza coleção da vida de Rachel de Queiroz

A Universidade de Fortaleza abriga acervo exclusivo, com peças únicas que acompanharam a vida da escritora cearense, gratuitamente para visitação


Por Pedro Dias

O acervo adquirido pelo Instituto Moreira Salles em 2006, doado posteriormente à Universidade de Fortaleza, caracteriza a biblioteca pessoal da própria Rachel de Queiroz. Nas obras da autora fortalezense, é retratada a realidade nordestina. Portadora de uma escrita sem mistificações e muita força, Rachel de Queiroz, um dos grandes nomes da literatura cearense, escreveu peças que transpõem sua época, reverberando até os dias atuais com livros como O Quinze, As três Marias, Dora Doralina, entre outros. 

Vestido da própria Rachel de Queiroz, doado pelo advogado José Luís Lira
à fundação Edson Queiroz, 2017 / Fotos: Pedro Dias

Numa visita ao acervo, pode-se presenciar artefatos que marcaram toda a trajetória da autora em seus anos de vida. Com edições únicas de suas obras como um dos primeiros volumes do Quinze, além de livros que a escritora possuía de outros autores com dedicatórias, feitas exclusivamente à ela, como Carlos Drummond de Andrade e Lygia Fagundes Telles. O acervo também conta com exemplares de seus principais romances traduzidos em línguas estrangeiras, que vão do inglês e espanhol, até o japonês. 

A visita propõe um mergulho imersivo na carreira da Rachel de Queiroz. Suas obras, suas relações sociais, seus posicionamentos políticos, sua trajetória como escritora e jornalista, sua influência no modernismo, suas crônicas escritas religiosamente na última página da revista O Cruzeiro, roupas da própria Rachel, entre vários outros artefatos que compuseram sua história, todos extremamente bem conservados nas prateleiras do acervo da universidade, aberto ao público para visitações em dias úteis.  

Dedicatória escrita por Carlos Drummond de Andrade à Rachel de Queiroz. “A Rachel de Queiroz, não uma pedra no caminho, mas um abraço do amigo Carlos Drummond”, Rio, 1967

Sendo autora de obras de enorme relevância para a ficção nordestina e portando um parentesco familiar ligado ao escritor José de Alencar, Rachel de Queiroz foi a primeira mulher a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras em 1997. Além de escrever sobre ficção, Rachel se aventurou por outros campos da escrita, como  jornalismo,  literatura infanto-juvenil, antologias, diversos contos e a produção de peças teatrais. 

Dedicatória escrita por Lygia Fagundes Telles à Rachel de Queiroz. “Para meus amigos Rachel e Oyama, estes mistérios e este afeto sempre, Lygia” em, 1964

A coleção Rachel de Queiroz é formada por mais de 3.100 itens, sendo 2.800 livros e aproximadamente 300 periódicos. A vastidão de sua obra carrega, além da qualidade literária, um valor histórico inestimável. Sua obra, que marcou uma geração, é de uma enorme relevância, tanto para pesquisa quanto para a preservação histórica da literatura do Ceará.

Serviço 

Horários: 

De segunda à sexta, das 8h30 às 17h

Aos sábados, das 8h30 às 12h55 

Local: 

Biblioteca Central Unifor – 1º Andar 

Visitas em grupo mediante agendamento

Acesso gratuito 

Telefone para contato: (85) 3477.3169

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php