Jair Bolsonaro se defendeu de acusações sobre desmatamento da Amazônia com Joe Biden

Este foi o primeiro encontro entre os dois chefes de Estados, ocorrido durante Cúpula das Américas


Por Carlos Enrique

O presidente Jair Bolsonaro (Republicanos) participou de um encontro bilateral com o presidente Joe Biden, dos Estados Unidos, na última quinta-feira, 9, em Los Angeles. Os dois chefes de Estado defenderam seus pontos de vista sobre assuntos como preservação ambiental e democracia. A reunião aconteceu na esteira da realização da Cúpula das Américas.

Durante sua fala, o presidente do Brasil agradeceu o convite do governo americano para participar da reunião. “A Cúpula das Américas é uma oportunidade para tratarmos dos desafios do pós-pandemia, do desenvolvimento sustentável, da transição energética, da transformação digital, da imigração, bem como da democracia e dos direitos humanos”. O chefe do Executivo ainda tocou em assuntos ligados à economia brasileira, como a geração de empregos e a segurança alimentar
Segundo Matheus Atalanio, especialista em Relações Internacionais no Instituto Damásio e professor da Especialização em Direito Internacional da Universidade de Fortaleza, o presidente brasileiro buscou tratar de temas importantes em um ano eleitoral. “Seria um contrassenso o presidente flertar com discursos antidemocráticos na reunião. Inclusive, países como Cuba, Venezuela e Nicarágua não foram convidados sob argumento de falhas democráticas e de direitos humanos”.

O presidente brasileiro defendeu medidas econômicas tomadas pelo seu governo / Foto: (Reuters/Marco Bello)

Atalanio também declarou que a Cúpula das América é uma reunião onde líderes debatem pautas importantes para os países interamericanos. De acordo com o docente, em uma perspectiva histórica, a participação do Brasil é fundamental para reafirmar valores e princípios democráticos. 

Durante a saída do hotel onde estava hospedado, o chefe do Executivo brasileiro afirmou que debateu assuntos de interesse mútuo com o seu homólogo americano. “Foi uma conversa bastante franca, muitas coisas técnicas estratégicas que infelizmente vocês não vão tomar conhecimento. Mas é muito bom, para além de Brasil ou Estados Unidos. É muito bom para o mundo”. 

Jair Bolsonaro já ecoou, em diferentes ocasiões, conteúdos dúbios sobre a lisura do processo eleitoral estadunidense. O líder brasileiro tenta manter o apoio de parte dos membros do Partido Republicano e conservar sua base de apoio no Brasil. Desde que foi derrotado, o ex-presidente Donald Trump teceu ataques ao seu então adversário, Joe Biden. 

Apoio nas eleições

De acordo com a agência de notícias Bloomberg, Jair Bolsonaro pediu a Joe Biden apoio nas eleições deste ano. O brasileiro, segundo a publicação, afirmou que o ex-presidente Lula, hoje líder nas pesquisas de intenções de voto, traria malefícios à política externa estadunidense. 

Fontes ouvidas pela agência declararam que o presidente norte-americano mudou de assunto assim que Bolsonaro citou o nome de Lula.

Foto em destaque: Chandan Khanna/AFP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php