Forte personalidade da oposição à ditadura militar, Rosa da Fonseca, morre aos 73 anos

Considerada uma mulher que nunca desistiu, a militante política lutou contra um câncer de ovário


Por Gabriel Gago

Ex-vereadora, ex-presa política e professora Rosa da Fonseca, 73, morreu na tarde desta quarta-feira, 1º, no Hospital São Carlos, em Fortaleza. A figura, militante da esquerda brasileira, fundadora do grupo Crítica Radical, lutava contra um câncer de ovário desde 26 de fevereiro de 2021.

Rosa teve importante participação na luta estudantil nos anos de ditadura militar no Brasil. Foi presa política e vítima de tortura antes de fundar, em 1973, o grupo Crítica Radical. Ao lado de Jorge Paiva, Célia Zanetti, Maria Luiza Fontenele, entre outros nomes, contribuíram para a reorganização dos movimentos sociais na Cidade.

Ela também se notabilizou, nos últimos anos, pelo repúdio ao governo de Jair Bolsonaro (PL). No ano passado, mesmo hospitalizada, ela se pronunciou contra uma visita do chefe do Executivo ao Ceará. “Será que o Ceará vai receber um fascista, um assassino, um ecocida, genocida, corrupto?”, perguntou. 

Foto em destaque: André Salgado / OPOVO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php