“Eu pensei que a Viviane lutadora era forte, mas a Viviane mãe supera tudo!”

Lutadora de MMA, Viviane Sucuri, se prepara para voltar ao octógono e dar uma vida melhor para seu filho


Por Carolina Romanholi

Viviane Pereira de Oliveira foi a primeira mulher cearense a lutar no octógono do The Ultimate Fighter – UFC. Mas, para ela chegar à elite da luta, sua estrada não foi nem um pouco fácil! Natural de Tauá, interior do Ceará, veio para Fortaleza ainda pequena, com apenas 9 anos. A mãe veio trabalhar em casa de família e posteriormente a trouxe para viver na capital cearense.

Conheceu a luta por meio de um projeto social, no qual entrou apenas para quebrar a rotina do dia a dia e, com o passar do tempo, ela se apaixonou pelo esporte. Lutou no UFC e no Invicta Fighting Championships, e também foi campeã mundial do Xtreme Fighting Championships. Somente após quatro anos e meio como profissional de MMA, a atleta, que lutava na categoria peso palha, foi derrotada pela lutadora Tatiana Suarez.

Viviane engravidou e o pai da criança não assumiu o filho. Sucuri cria o filho sozinha, com a ajuda de familiares. Mas, este não foi o único problema que Sucuri enfrentou, após a gravidez. Ao voltar para os treinos, teve uma lesão grave no ombro, foi submetida a uma cirurgia e vem aos poucos se recuperando. Quem quiser acompanhar o trabalho da Vivi, pode seguir @viviane.sucuri.

Viviane Sucuri no Rio de Janeiro, se preparando para a luta no UFC 2012 / Fotos: Arquivo pessoal

Newslink – Você é natural de Tauá. Pode falar da sua infância e como foi a sua vinda para Fortaleza?

Viviane Sucuri: Não lembro muito, até porque vim pra Fortaleza com 9 anos, acho. Minha mãe veio trabalhar em casa de família e depois nos trouxe.

NL – Você lutou no UFC 206, foi campeã mundial do Xtreme Fighting Championships, dentre outros títulos. Como iniciou essa paixão pela luta?

VS: Começou meio que para quebrar a rotina só casa e escola. Foi no projeto social me apaixonei pela luta.

NL – Geralmente quando optamos por um esporte tido como esporte masculino, as pessoas tendem a discriminar mulheres que praticam esse esporte. Você sofreu algum tipo de descriminação durante sua carreira?

VS: Sofri um pouco, principalmente por ser muito pequena, mas nunca liguei pra isso não!

NL – E sua família lhe apoiava?

VS: Infelizmente, no começo não tive qualquer apoio. Tanto que, aos 17 anos, meio que saí de casa.

NL – De onde veio o apelido “Sucuri”?

VS: Veio de um treino com novatos. Eu apertava o pescoço e eles falavam que era igual a abraço de cobra. Daí de todos os nomes (de cobra) ficou sucuri!

NL – Sua convocação para o UFC foi inesperada! Como você recebeu essa notícia?

VS: Depois que fui campeã do ÁsperaFc, meu agente “Brigadeiro” mandou a notícia juntamente com o contrato mais esperado do mundo.

NL – Você lutava na categoria peso palha. Como era a sua preparação para as lutas do UFC?

VS: Sempre tive uma preparação bem intensa, com três a cinco períodos diários, só amenizando quando estava próximo da luta (preparação física, Muay- Thai, submissão, mma etc).

Após pesagem, Viviane posa para fotos

NL – Descreva como era a semana que antecedia a luta, desde a sua alimentação até a hora de entrar no octógono.

VS: Era mais concentração, poucos treinos, mais orientação e detalhes. Alimentação era um pouco tranquilo porque o corte era feito bem antecipado.

NL – Quando você descobriu que estava grávida? Você tinha alguma luta marcada para esse período? Se sim, o que aconteceu?

VS: Eu estava sim esperando uma luta pelo título do invictaFc já que já vinha de vitória. Então anunciei a gravidez e dei essa pausa

NL – Vi em suas redes sociais que você postou o teste de paternidade do seu filho. Como está sendo este relacionamento com pai do seu filho, ele o reconhece?

VS: Infelizmente a notícia da gravidez não agradou a ele, já que também era meu treinador. Tanto que, além de não querer que eu seguisse com a gravidez, ainda me expulsou da academia e nunca mais me procurou, nem ajudou em nada, por isso resolvi entrar na Justiça. Foi quando ele falou que não era o pai, mas, graças aos testes, comprovei tudo.

NL – Você teve uma lesão no ombro e hoje está fazendo tratamento para se recuperar. Como foi essa lesão?

VS: Durante o treino de luta livre acabei deslocando o ombro e rompendo o tendão, tendo que fazer duas cirurgias. Mas estou fazendo fortalecimento e fisioterapia.

NL – A Viviane Sucuri vai voltar aos octógonos?

VS: A recuperação está indo bem, então espero que, até o final do ano, possa fazer uma lutinha, né.

NL- Quem é a Viviane Lutadora e a Viviane Mãe?

VS: Pensei que a Viviane lutadora era forte, mas a Viviane mãe supera tudo. É por isso que estou lutando mais forte ainda, pra conseguir voltar aos ringues, poder cuidar melhor do meu filho. Então, sou mais forte, mais otimista, tenho muito mais fé em tudo.

Viviane comemora o aniversário de um ano do filho Ravi

NL – O que mudou em sua vida após sua gestação?

VS: Mudou praticamente tudo. Tive que abdicar no começo de muita coisa. Meu coração renasceu, perdi muitas coisas. Mas, aos poucos, estou recuperando tudo e já, já a Viviane sucuri estará de volta!

Foto em destaque: Arquivo Pessoal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php