Professores compartilham a experiência de escrever um livro sobre direitos trabalhistas

O livro “A vida com direitos” desenvolve um estudo de cidades onde o gerenciamento de resíduos foi benéfico aos catadores


Por Carlos Enrique

Diferentes cidades no Brasil vêm convertendo a forma de coleta dos resíduos sólidos. A maneira como tais aglomerados urbanos realizaram esta mudança foi objeto de análise no livro “A vida com direitos – Direito do trabalho inclusivo e trabalho decente para catadores de resíduos”, escrito pelos professores Dieric Cavalcante, Ana Virgínia e Gabriella Wanderley.

O lançamento do livro foi realizado nesta quarta-feira, 11, na biblioteca da Universidade de Fortaleza. O evento, idealizado pelo curso de Direito da instituição, foi oferecido aos alunos novatos e demais discentes. Durante a apresentação da obra, a maneira como as cidades citadas na pesquisa conseguiram sair de um processo informal de gestão de resíduos para um onde os catadores espalhados pelas ruas fossem agentes de destaque foi pauta de debate. 

Ao NewsLink, Gabriella Wanderley afirma que a experiência de escrever o livro a fez compreender seu papel na sociedade. “Quando tive contato com os catadores, encontrei uma função social para meu papel dentro do coletivo. Percebi que poderia impactar a vida de muitas pessoas. Além de informar sobre seus direitos, comecei a aprender com eles”. 

Durante sua explanação, Ana Virginia apontou para as dificuldades enfrentadas pelos catadores de rua. A forma como tais profissionais são escanteados pela sociedade e as condições insalubres de trabalho foram destacados pela professora.

Dieric Cavalcante salientou a importância do coletivo no processo de mitigar os percalços enfrentados pelos catadores. O docente afirmou que, durante a elaboração do livro, se deparou com um exercício necessário de como tornar mais digna a vida destas pessoas. 

Durante o evento, Roberto Rocha, presidente da Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT), fez uma aparição remota e participou do debate sobre o tema abordado pelo livro. Antigo catador, o convidado declarou que a classe necessitava de um espaço maior dentro dos diferentes setores da sociedade para expor suas dificuldades.  A versão impressa do livro está disponível na biblioteca da universidade. A obra foi financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) ― entidade ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Foto em destaque: Wikimedia Commons

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php