“A filha primitiva” da cearense Vanessa Passos tem mais de 100 mil páginas lidas

O primeiro romance da escritora está com quase 1.000 avaliações na Amazon e aborda temas sociais com personagens femininos


Por Cadu Franco

Em fevereiro, “A filha primitiva” venceu a 6ª edição do Prêmio Kindle de Literatura, sendo a primeira nordestina e cearense a levar o título. A escritora Vanessa Passos terá seu material publicado em versão impressa pelo Grupo Editorial Record no segundo semestre deste ano. Iniciando os trabalhos como uma autora independente, Vanessa teve o apoio dos leitores e reconhece que foi fundamental para o sucesso do livro.

Escritora, professora de escrita criativa e doutora em literatura comparada, a autora revela que iniciou o interesse pela literatura na infância. Com dificuldade de comunicação, buscava a biblioteca da escola como local de refúgio mental, e se reconheceu como escritora durante a graduação em Letras, quando participou de um concurso literário. “Sou apaixonada pelo mundo da imaginação e literatura”, diz.

 “A filha primitiva” (2021) retrata a vida de três mulheres de uma mesma geração de Fortaleza, que enfrentam dificuldades financeiras e questões sociais, como racismo, maternidade e violência contra a mulher. A história é curta e a autora não revela o nome das personagens no livro. Vanessa aborda temas femininos como forma de reflexão.

Vanessa Passos acredita que o livro traz, a partir da literatura, a capacidade de empatia, do leitor de se colocar no lugar e na dor do outro e refletir
/ Foto: Kaian Paulino

Após quatro anos de escrita, onze versões de revisão e quatro leituras críticas, o livro foi publicado em formato digital, pela plataforma Kindle, na Amazon. Antes de ser indicado ao prêmio, a obra já somava 530 avaliações na plataforma. A bancada especializada do júri contava com os nomes de Sueli Carneiro, João Paulo Cuenca e Socorro Acioli, que elegeram o livro da autora como vencedor dentre os cinco finalistas.

O livro não é autobiográfico, e Vanessa diz que pronunciava o diálogo das três personagens em voz alta durante a produção do material. “No meu processo de escrita, me jogo nos personagens e me empresto para viver e sentir essa experiência. Mergulhei nessas dores, tristezas e cicatrizes dessas mulheres”, ressalta. A escritora conta que não romantizou as situações do livro, pois o objetivo era problematizar e trazer a complexidade dentro da construção dessas mulheres.

A doutora revela a emoção de ser uma mulher nordestina com uma obra vencedora e reconhecida pelo Grupo Editorial Record, que já publicou obras de autores como Raquel de Queiroz e José Lins do Rego. “São tantas conquistas que não dá para deixar claro as sensações. Tenho reconhecimento enquanto autora, mulher negra de pele clara, cearense e que vem de família humilde”, descreve.

O romance que está disponível gratuitamente para assinantes no eBook Kindle Unlimited, gera novas expectativas para a escritora, que evidencia o desejo da obra atingir mais leitores. “Tenho grandes ambições para este livro. Desejo que esteja nas livrarias de todo o país e que também possa ser adaptado ao audiovisual e traduzido para outros países”. A obra, conforme a autora, é bem construída e traz fatores sociais importantes e relevantes.

Vanessa ainda reforça a importância da ajuda dos leitores no reconhecimento de obras de escritores independentes. “O leitor não tem ideia de como pode apoiar, então eu deixava claro para eles deixarem avaliações na Amazon e indicarem o livro para outros amigos, além de fazer resenhas do livro, indicar para clubes de leituras e divulgar nas redes sociais. O leitor faz toda a diferença nesse processo”, finaliza.

Foto em destaque: Kaian Paulino

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php