Ao comemorar 296 anos de vida, o que você desejaria para Fortaleza?

A Capital cearense faz aniversário nesta quarta-feira, dia 13 de abril de 2022. O NewsLink entrevistou pessoas que moram ou nasceram na cidade, para saber: “Qual presente você daria para Fortaleza?” 

Por Julia Freitas Neves e Vitória Cortês

A cidade divide opiniões das pessoas que contribuem diariamente com a construção de Fortaleza e constroem memórias. Relatos de lembranças dos que não residem mais no município e inquietações dos moradores fazem parte do cotidiano da população. Resgatar a história da cidade, pode ser um caminho de planejamento para o futuro e contestação de melhorias.

Nossa cidade conta com quase 300 anos de diversidade cultural e histórias para contar. O que viria a ser Fortaleza, originou-se do Forte de Nossa Senhora de Assunção, batizado por Matias Beck como Fort Schoonenborch, em 1649. A dominação portuguesa do território fortalezense até então comandado por holandeses invasores voltou em 1654. Em 1812, a cidade começa a ser construída com base no projeto do engenheiro Antônio José da Silva Paulet. Hoje, a cidade de Fortaleza é uma das maiores capitais brasileiras, com mais de 2,7 milhões de pessoas. 

Para comemorar a data, o NewsLink perguntou a pessoas que nasceram ou escolheram a cidade para morar, que presente elas dariam a Fortaleza neste aniversário. Leiam a seguir o que elas disseram.


 “Acho que o presente que eu daria para Fortaleza é um forte abraço, um grande agradecimento por essa cidade acolher tão bem as pessoas, principalmente as que vem de fora, como eu que venho de Minas e iniciei toda a minha carreira artística como chargista. Fortaleza é uma cidade sempre muito acolhedora, com um povo maravilhoso que sempre me ajudou muito e acho que isso é uma característica da nossa cidade. As pessoas são muito solícitas e isso nos motiva a ser também e ficamos nesse ciclo de acolhimento”, 

Thyagão, publicitário e artista visual

“Para muitos, é motivo de comemoração e alegria. A gente sabe que a gente tem que se alegrar sim com a nossa cidade, com o desenvolvimento. Mas, diante de um contexto tão triste, que em 2022 já foram 29 chacinas no Ceará, e que assinalou a maior chacina já registrada, por policiais militares na nossa capital. Então, falar do aniversário de Fortaleza, dos 296 anos e não falar da chacina do Curió, é muita maldade. Por isso não posso elogiar Fortaleza. Você adentrando nas periferias, você vê o descaso com a cidade. Para que a cidade seja elogiada pelos 296 anos, ela tem que contemplar a população pobre, que é marginalizada, que é morta todos os dias, que não tem um pingo de dignidade como ser humano.” 

Edna Carla, cuidadora de idosos e militante dos direitos humanos

“O meu presente dos sonhos para Fortaleza é a igualdade social. Que os fortalezenses do Barroso, que todo ano enfrentam inundações, possam ter finalmente esgotamento sanitário. Seria sonhar demais que os moradores do Oitão Preto e do morro Santa Terezinha tenham as mesmas oportunidades dos da beira mar, já que o mar pela janela é o mesmo? Pode até ser utopia, mas se eu pudesse esse seria meu presente. Igualdade social baseada em educação e saúde para todos.” 

Wânyffer Monteiro, jornalista

“Na verdade eu daria dois presentes à cidade: reformaria a Praça do Ferreira, dando uma destinação digna para os atuais moradores de lá e dotava a cidade de placas em todas as esquinas da cidade com os nomes das ruas sem patrocínio comercial”

Miguel Ângelo de Azevedo, Nirez, jornalista, historiador e desenhista

 “‘Uma experiência de rua acolhedora’. O poeta Leminski diz que a rua é o lugar mais importante da cidade. Para Fortaleza, uma rua vívida, que convoca e recebe bem criança, mulher, gente velha. Seja na Aerolândia, Aldeota, Barroso, Benfica, Canindezinho, Centro. Irrigada pelo transporte público que nos leve aqui, ali, acolá, na categoria à qual pertencemos: seres vivos, modo pessoa. Uma rua à altura da biodiversidade que torna a vida possível. Uma rua política, que é a via de perguntas do tipo como viver junto, e bem, como honrar o ar, a água, o sol, a terra, a Terra. Qual a cor da sua pele? Você já imaginou o quão hostil e ameaçadora é nossa cidade para gente negra? Fortaleza, presente é feito futuro : construção. Não se dá. Conquista-se. Como aquele livro que, através da leitura, tornamos nosso. Inscrito na pele. À flor da pele”.

Izabel Gurgel, jornalista

“O presente seria a criação de mais áreas verdes, com parques, trilhas etc., além de áreas urbanas organizadas e limpas. Recuperação das nossas praças, dentro de um plano de revitalização do centro da cidade”

João Luiz Pinheiro Bastos – professor do Centro de Ciências (Departamento de Biologia) da UFC

“Desejo mais conhecimento e acessibilidade aos moradores sobre a importância da conservação do patrimônio histórico cultural. Mais conscientização”

 Andrea Dalveroni, artista visual

 ”Daria de presente um abraço de proteção e cuidado pelo seu meio ambiente, de maior respeito e solidariedade entre as pessoas que aqui moram um beijo pelo privilégio do sol que faz nascer aqui todos os dias. E meus parabéns pelo seu povo tão criativo e alegre”, 

Alejandro Sepúlveda, chileno, professor de Jornalismo da Universidade de Fortaleza

E você? Escreva no espaço dos comentários abaixo, que presente você daria à cidade de Fortaleza em seu aniversário de 296 anos. Participe!

Ilustração em destaque: Chate / inspirada na fotografia de Vinícios Costa Lima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php