Referência da arte visual brasileira morre em São Paulo

Com mais de 50 anos de carreira, Elifas Andreato foi responsável por capas emblemáticas na história da indústria fonográfica brasileira 


Por Gabriel Gago e Carlos Enrique

Morreu na madrugada desta terça-feira, 29, um dos maiores designers gráficos e ilustradores nacionais, Elifas Vicente Andreato, aos 76 anos. O artista ficou conhecido pelas mais de 700 capas de discos e DVDs produzidas para artistas como Chico Buarque, Paulinho da Viola e Elis Regina, entre outros, nas décadas de 1970 a 1980. 

Segundo parentes do artista, a causa da morte foram complicações em decorrência de um infarto que havia sofrido há alguns dias. O corpo de Elifas foi velado no crematório da Vila Alpina, na Zona Leste da capital paulista, a partir das 16 horas.

A confirmação veio de sua filha, Laura Andreato. Em agradecimento, Laura destacou todo o carinho, apoio e as correntes positivas emanadas por fãs e admiradores. Pelo instagram, Elias Andreato, irmão do artista, o homenageou.

“Tudo o que ele tocava com as suas mãos, virava coisa colorida, até a dor que ele sentia era motivo de tinta que sorria”, escreveu Elias. 

Thyagão, chargista do Diário do Nordeste, diz que Elifas está marcado por sua personalidade única em cada trabalho. “Ele não tinha um estilo, tinha uma questão muito forte do experimentalismo, que podia vir de várias formas, nos desenhos, pinturas, nos traços, e isso tornava suas capas em verdadeiras obras de arte”, declara.

Thyago, chargista do DN / Foto: Arquivo pessoal
Artista plástico Válber Benevides / Foto: Arquivo pessoal

De acordo com o artista plástico cearense, Válber Benevides, “a grande inovação do Elifas Andreato foram as aquarelas, pois elas saíram das mídias usuais para as capas dos vinis, que as tornavam uma tela de arte do mais fino gosto”, diz. “Agora, ele tem todo o céu para ilustrar e torná-lo ainda mais colorido com a sua poética gráfica. Um grande artista plástico que transmitia sentimento em suas ilustrações”, completa.

Natural do município de Rolândia, o paranaense nasceu no dia 22 de janeiro de 1946. O gosto pelas artes se desenvolveu quando passou a residir em São Paulo, onde, além de atuar como mecânico, realizava painéis e fazia pinturas para um jornal local. A partir daí, Elifas trabalhou na TV Tupi e na Editora Abril, onde começou a ganhar visibilidade no meio.

Foi o criador da revista Almanaque Brasil, publicação de qualidade, que era distribuída em voos da Tam. O conteúdo da revista foi adaptado para um programa na TV Cultura, com o mesmo nome da publicação, e era apresentado pela cantora Luciana, filha do cantor Jair Rodrigues.

Exemplares da revista Almanaque Brasil / Foto: Divulgação

Foto em destaque: Reprodução/YouTube

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php