Muito além do mar: fotógrafo traz coletânea sobre o êxtase do surf fora d´água

Vinícius Costa Lima reúne fotos de sua experiência com o surfe em ensaio preto e branco, um pouco do prazer da superação e a satisfação que é o constante aprendizado 


Por Vinícius Costa Lima

Depois de dois anos de pandemia, um ritmo que sempre me atraiu foi o ritmo do mar, das ondas e como ele faz a gente se sentir dançando. Por isso decidi surfar e não demorou muitos meses até que este hobbie se unisse à paixão pela fotografia. 

Com terreno fértil para testar a velocidade do obturador e explorar ISOs mais baixos, vincular meus dois novos hobbies foi um tiro certeiro para um mês de verão cheio de fotos de tirar o fôlego. Com uma boa oportunidade para passar o tempo livre na praia, o ofício de fotógrafo de surfe me trouxe boas conversas além de tudo.

Do motoboy a um cirurgião, nada disso importa quando o assunto é surfar. Cada um tem sua curva de aprendizado e intenções com o esporte. Uns começam aos cinco anos, outros aos cinquenta, dá frio na barriga deixar a onda levar.

Apesar da velocidade das ondas, o que me deixava em êxtase ao surfar era a sensação de entrar e sair do mar. Na areia, por trás das lentes, fiz muitos conhecidos e desconhecidos. Suas performances na água sempre mudam, mas o sentimento de vitória é o alvo deste ensaio por mim produzido.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php