Casa Grande agrega cultura e educação para crianças e jovens no Nordeste

A Fundação faz parte da história cultural do Cariri Nordestino e dos seus moradores, com eventos anuais e projetos internos que atendem a população


Por Vitória Vasconcelos

A Fundação Casa Grande – Museu do Homem Kariri, em Nova Olinda, é um campo de realização de projetos para a comunidade em que está inserida. Anualmente dezenas de eventos são executados dentro da instituição.

Criada em 1992, por Alemberg Quindins e Rosiane Limaverde – esposa de Alemberg e falecida em 2017 – , a casa azul conta com projetos fixos em sua grade, além dos oferecidos para a população periodicamente. A instituição fundada pelo casal se tornou importante centro cultural para o Nordeste brasileiro, unindo mitologia, história, paleontologia e cultura nordestina. A pequena casa azul se torna um ambiente de conhecimento e aprendizagem para crianças e jovens que são atraídos pelo que ela tem a oferecer.

Essa importância cultural foi citada pelo Secretário da Cultura do Ceará, Fabiano dos Santos Piúba, que compareceu à cerimônia de aniversário da Fundação, em dezembro. “A Fundação Casa Grande é uma referência e um parâmetro muito importante nas políticas de educação e de cultura. Compreendendo as crianças e os jovens como protagonistas deste processo, esta é uma primeira dimensão para se destacar”.

Piúba ressalta que a existência da casa complementa a história do Cariri e do Ceará. “É uma instituição que tem uma história com o território, que é esse território sagrado do Sertão do Cariri, da Chapada do Araripe. Portanto, as ações que são desenvolvidas nos campos da arte, da cultura e do patrimônio cultural têm muito a ver com esse território cultural e é algo muito relevante para o próprio desenvolvimento do Ceará, seja o desenvolvimento econômico, social, sustentável, mas algo também muito relevante para a afirmação da nossa identidade como cearense”.

As próprias crianças cuidam da Fundação e das pessoas que são recebidas, toda a Casa Grande é comandada pelos jovens que lá dentro são ensinados / Foto: Divulgação Pau de Arara

Estas ações citadas pelo secretário são os eventos realizados pela Fundação, tais como a Mostra SESC Cariri de Cultura na Casa Grande, que ocorreu de 2003 a 2017, Cariri das artes de países de língua portuguesa, Seminário internacional de turismo de base comunitária e I Seminário de avaliação e planejamento das casas do patrimônio, todos em 2009; Cariri mostrando a 9ª arte de quadrinhos e animação, realizado em 2010; Cariri mostra musical Iberoamericana, em 2011; Seminário internacional de turismo de base comunitária, de 2012; Fórum Onda Cidadã 10 anos, em 2013;  Mostra Warakdzã e Mostra Cini Cariri; no ano de 2015; São João cultural no Cariri e Encontro de artes, ciência e patrimônio, ambas em 2016; Mostra SESC Cariri de culturas, 2021; o mais recente sendo Por Um Sorriso, em janeiro de 2022; dentre outros.

Além destes eventos abertos ao público, a Fundação Casa Grande conta com cinco projetos voltados para as crianças e jovens que a frequentam. Os projetos são de educação infantil, profissionalização de jovens, empreendedorismo social, geração de renda familiar e sustentabilidade institucional.

As crianças e jovens dentro da instituição aprendem em projetos ofertados e desenvolvem diversos talentos / Foto: Divulgação Pau de Arara

O intuito desses projetos é ver como a ciência cria um espaço para o aprendizado do jovem, como diz Júnio dos Santos, turismólogo e responsável pelo programa de sustentabilidade institucional da Fundação. “A ideia do projeto é de que as crianças cheguem até aqui [a Fundação], e possam usar a ciência como um espaço lúdico. Para que as crianças e jovens passem a ter um reconhecimento sobre a sua própria história, a história de seu povo”.

Na perspectiva de manter sempre a presença de pessoas visitando a organização, a Casa Grande tem sempre a sua grade com eventos marcados, desde projetos no campo da saúde, cultura, música, arte, todos anunciados no seu canal oficial pelo Instagram.  Ela está sempre visando a acompanhar o desenvolvimento do repertório de conteúdo das crianças e jovens e que isso é uma contribuição para o Ceará, como disse o seu criador, Alemberg. 

“A Fundação Casa Grande pensa nesse povo Cariri a partir da infância e como é que todo esse conhecimento que tá enterrado e que tá em cima do chão em sítios mitológicos e arqueológicos e de toda essa história e de todo esse terreiro geológico pode fazer com que as crianças a partir da mais tenra idade, ela possa ir construindo essa qualidade de conteúdo, seu repertório da palavra e pensar. Então, a partir daí vejo como é que a gente pode contribuir pro Ceará”, concluiu Quindins.


Veja também:

Por1Sorriso encerra primeiro mês do ano na Fundação Casa Grande

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php