CNDH realizou debate com movimentos sociais e organizações internacionais 

Em ato do Conselho Nacional dos Direitos Humanos, líderes de entidades voltadas à preservação dos direitos humanos apontam desafios para a temática 

Por Carlos Enrique e Gabriel Gago

O Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) promoveu um ato público em defesa do Estado Democrático e do respeito às garantias fundamentais. Durante o encontro, promovido na manhã desta sexta-feira, 10, foram feitas homenagens às vítimas da Covid-19 e debates sobre a importância da luta pelos direitos fundamentais.    

O evento contou com a participação de representantes de movimentos sociais e membros de organismos do sistema internacional de direitos humanos. Eles reafirmaram a necessidade de promover temas vinculados às necessidades enfrentadas por boa parte da população mundial, como a desigualdade social. 

A conselheira Domenica Bumma, representante da União Europeia no Brasil, exortou a defesa dos princípios fundamentais do ser humano e confirmou que o bloco europeu está disposto a tomar a frente dos debates acerca do tema.

“Queria manifestar o mais firme compromisso da União Europeia na promoção e defesa dos direitos humanos no mundo e em suas fronteiras, e nosso mais firme apoio ao Conselho Nacional dos Direitos Humanos”, afirmou.

Silvia Rucks, coordenadora residente do Sistema ONU no Brasil, usou seu tempo de discurso para lembrar os desequilíbrios sociais provenientes da pandemia de Covid-19. Silvia também parabenizou o CNDH por seu trabalho pela luta pelas garantias inalienáveis do ser humano. “Nesta data tão significativa, reconheço o papel valioso e o trabalho que o conselho desempenha para os direitos humanos no país e no enfrentamento de suas múltiplas desigualdades”, declarou. 

Segundo pesquisa desenvolvida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), intitulada “Justiça em Números 2021”, 64.978 ações visavam a ter acesso a direitos fundamentais no Brasil em 2020. O montante representa um aumento de 342% em relação ao registrado em 2019.

O presidente da Confederação Nacional das Associações de Moradores (Conam), Getúlio Vargas, relembrou o vínculo existente entre a democracia e os direitos humanos. Vargas ainda garantiu que é preciso haver um apelo populacional pelo tema. “Não há direitos humanos sem democracia, e não há democracia enquanto brasileiros não têm seus direitos essenciais garantidos. O conselho só vai conseguir avanços com apoio da sociedade”, afirmou o presidente.

One thought on “CNDH realizou debate com movimentos sociais e organizações internacionais 

  • 13 de dezembro de 2021 em 18:00
    Permalink

    Sou apaixonado pela escrita dos jornalistas citados na matéria. Acredito que CE e GG ditam a forma como o jornalismo é conduzido no Ceará atualmente.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php