Declamadora do cordel “Lei Maria da Penha” faz homenagem para Marília Mendonça

O tributo de Samya Abreu foi incentivado pela admiração e identificação com as composições musicais da cantora que morreu prematuramente no acidente de avião na última sexta-feira (5)

Por Rodrigo Osterne

Fã da cantora Marília Mendonça, a cordelista cearense Samya Abreu, de 11 anos, moradora de Maranguape, cidade da Região Metropolitana de Fortaleza, fez uma homenagem para a Rainha da Sofrência em um cordel. Segundo a garota, além da sua admiração pela cantora, as letras de Marília Mendonça a incentivaram a compor a obra em memória da artista.

Samya, a jovem cordelista que já declamou cordéis no programa Encontro Com Fátima Bernardes, da TV Globo, e na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), de São Paulo, falou sobre a admiração pela cantora e sua composições, que foram motivos da iniciativa para criar a obra. “Marília Mendonça tinha em suas composições musicais, letras sobre mulheres que sofriam em seus relacionamentos e davam a volta por cima”, afirmou a menina.

A cordelista também relaciona seu carinho pela Rainha da Sofrência com a sua participação no movimento Mulheres do Brasil, grupo de quase 100 mil mulheres que busca estimular a inserção feminina nas mais diferentes áreas sociais. “Como faço parte do Grupo Mulheres do Brasil e sou declamadora do cordel Lei Maria da Penha, admiro ainda mais as letras das músicas dela.” Samya concluiu frisando o bom momento que Marília vivia na sua carreira profissional e na vida pessoal. “Tive que homenageá-la, pois Marília é um astro da nossa música que se foi precocemente. Ela estava vivendo um grande momento, tanto nos palcos quanto com o filho dela”.

Confira o cordel escrito por Samya Abreu em homenagem à cantora Marília Mendonça:

“Eu comparo essa vida
A uma vela que está acesa
Formosa, iluminando,
Com brilho, encanto e beleza
E de repente nos surpreende
Se apagando de surpresa.


A Terra perdeu uma estrela,
Mas perdeu para o céu ganhar.
Tudo quando nasce, morre
É um dito popular.
Pois Deus concede a vida,
Mas depois manda buscar”

Mesmo que ainda jovem, Samya conta que a paixão por cordéis começou logo cedo, e que teve bastante influência de seu pai, Francisco Lopes de Abreu. “Tudo começou nos meus tinha 7 anos, quando meu pai estava assistindo ao programa Sr. Brasil e eu vi Maviael Melo recitando o cordel Campanha Eleitoral. A partir daí, comecei a criar gosto”. Tendo a presença do pai nos primeiros passos na admiração por cordéis, ela também frisa a sua importância no decorrer da trajetória. “Meu pai é, com certeza, a pessoa que mais me incentiva e me ajuda a fazer cordel. Ele é minha maior inspiração”, reconheceu Samya.

Além do pai, o seu maior incentivador na arte do cordel, Samya Abreu também fala sobre outras inspirações que tem no mundo artístico. “Alguns poetas também me incentivam muito no dia a dia, como Izabel Nascimento, Geraldo Amâncio, que é mais repentista, além de vários outros que me inspiram todos os dias”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php