Jornalista aponta dados numéricos usados na produção de informações na era digital

Thays Lavor palestrou para alunos e professores da Universidade de Fortaleza sobre a importância do crescente papel do jornalismo de dados na atualidade

Por Érica Prado

Uma das áreas mais cobiçadas entre os profissionais de comunicação, o jornalismo investigativo tem sido cada vez mais reforçado, na mesma área de atuação, pelo jornalismo de dados. No âmbito do Mundo Unifor, a jornalista Thays Lavor conversou e tirou as principais dúvidas de professores e alunos sobre a atuação do profissional nestas modalidades de jornalismo.

A participação de Thays Lavor fez parte das comemorações dos 21 anos do curso de Jornalismo, da Universidade de Fortaleza. Formada em Jornalismo pela Unifor e atual editora-chefe do Data.doc no jornal O Povo, ela conversou ainda sobre utilização de algoritmos em questões sociais, diferença do uso e apropriação de dados, e em que consiste esse tipo de comunicação. A palestra aconteceu na última sexta-feira, 22, mediada pelo professor Miguel Macedo, do Jornalismo da Unifor.

O primeiro tópico da conversa foi a explicação sobre o que é jornalismo de dados e em que consiste. “Jornalismo de dados é jornalismo. Ele consiste na utilização de técnicas das ciências sociais, estatística, técnicas computacionais para investigar e chegar a evidências”, afirmou. Para ela, um fator que evidencia bastante e impulsiona esse tipo de comunicação é o movimento dos governos abertos, um movimento mundial de abertura de dados governamentais.

Formada em jornalismo pela Universidade de Fortaleza, Thays Lavor celebra os 21 anos do curso de jornalismo em palestra para alunos e professores / Foto: Arquivo pessoal

Thays também ressaltou a diferença entre o jornalismo de dados e o jornalismo com dados, e afirmou que o que diferencia os dois, é o uso e a apropriação. “Quando faço o uso, utilizo os dados apenas para ilustrar a minha matéria. Não faço uma análise a mais do que aquilo. E o que seria me apropriar de um dado? Seria acessar uma pesquisa e fazer novas análises por meio daquela, cruzar outras variáveis importantes e fazer novos ganchos para aquilo ali”.

Quando perguntada sobre a relação entre jornalismo de dados e visualização de dados, explicou que a visualização faz parte do jornalismo. Existe, porém, um destaque muito importante, pois, ao visualizar uma matéria, estamos evidenciando e comprovando aqueles dados.

Antes do encerramento do debate, a especialista foi questionada sobre algoritmo. Ela ressaltou que cada dia mais é necessário que “a gente saiba cobrir esse tipo de pauta, saber técnicas reversas. Como, por exemplo, o que é que entra nesse algoritmo para ele sair com essa resposta? A gente vê por exemplo essas questões sociais de vigilância e de todas as inteligências artificiais que estão prendendo mais pessoas negras do que brancas, o que está incluso dentro desse algoritmo?”

A conversa também foi marcada por várias questões, dentre elas, principais cuidados necessários ao cruzar dados de fontes diferentes, como nivelar jornalistas de dados e jornalistas tradicionais, importância dos dados no jornalismo esportivos, entre muitas outras perguntas. Como a maioria dos eventos do Mundo Unifor e da programação dos 21 anos do curso de Jornalismo, a participação de Thays Lavor foi remota, e teve duração de uma hora e quarenta minutos.

Foto em destaque: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php