Professores alertam alunos do curso de Medicina Veterinária sobre princípios éticos

A palestra fez parte da programação do Mundo Unifor, considerado o maior evento de arte e ciência do Nordeste

Por Rafael Barros

Na manhã desta sexta-feira, 22, os alunos do curso de Medicina Veterinária da Universidade de Fortaleza foram prestigiados com uma palestra sobre “Princípios éticos na formação profissional do Médico Veterinário: competências além da técnica”, com os professores Francisco Esmaile Sales, Rodrigo Guedes e Marília Taumaturgo. Os palestrantes disseram que existe resistência e desinteresse dos profissionais e futuros profissionais a respeito do tema, mas ressaltaram a importância de conversar e debater sobre a ética na Medicina Veterinária.

Segundo Marília Taumaturgo, a palestra teve como intuito apresentar os princípios morais dentro da profissão e os valores e julgamentos para a prática da Medicina Veterinária. Além de fazer uma reflexão crítica sobre prestação de serviço veterinário em apoio das responsabilidades e o exercício da profissão com integridade, respeito, dignidade e consciência.

Um dos assuntos que foram pautados no encontro foi o combate ilegal dentro da Medicina Veterinária. O professor Rodrigo Guedes comentou que, apesar das fiscalizações e do empenho do conselho de Medicina Veterinária, ainda existe a presença do exercício ilegal na profissão. “É preciso ter muito cuidado com os falsos profissionais porque uma vez que uma pessoa que não tem uma formação graduada e um estudo dentro daquela área vai começar a colocar não só a saúde dos animais, mas, também, a saúde humana e a saúde ambiental em risco”, completou.

Palestra realizada por professores do curso de Medicina Veterinária é uma das atrações do Mundo Unifor / Foto: Divulgação

Os professores ressaltaram a importância do respeito na profissão, com base no capítulo dois do Código de Ética da Medicina Veterinária que diz: “são deveres relacionar-se com os demais profissionais, valorizando o respeito mútuo e a independência nacional”. Rodrigo Garcia disse que percebe um desrespeito entre alguns profissionais atuantes na área. “Ainda precisamos melhorar bastante nessa questão do respeito. O respeito começa dentro da faculdade, com os colegas, professores e funcionários. Então, sempre brinco com meus alunos que a gente precisa ser mais unido”, reforçou.

A divulgação do trabalho nas redes sociais é um ponto que os profissionais da Medicina Veterinária precisam tomar cuidado. Muitos veterinários, segundo Rodrigo Garcia, usam o antes e o depois na divulgação, ou seja, o profissional tira uma foto do animal antes do tratamento e outra pós-tratamento. Essa prática, sem a autorização do dono do animal, é ilegal. “Uma vez que o tutor veja a imagem do seu pet divulgada em redes sociais de uma forma de propaganda para aquele local, ele pode entrar com processo e a chance dele ganhar o processo e ser indenizado quanto a isso são grandes”, afirmou o professor Francisco Esmaile Sales.

Os alunos que acompanhavam o bate-papo foram alertados sobre o que não deve ser feito quando forem publicar trabalhos científicos. Esmaile alerta que em qualquer procedimento, mesmo que seja um estudo observacional, o trabalho tem que ser autorizado pelo comitê de ética de uso animal. O professor deu um exemplo para os alunos sobre essa situação. “Se alguém quiser fazer um resumo para mandar uma amostra científica sobre uma dieta que o médico de um determinada universidade fez e publicou o trabalho e a pessoa pega aquela transcrição dele e coloca no resumo com as próprias considerações, a pessoa está cometendo plágio”. ressaltou Esmaile.

No final da palestra, os professores fizeram suas considerações finais e agradeceram a presença e a participação dos alunos no debate. Os telespectadores enviaram perguntas no chat da transmissão, interagindo com os palestrantes.

Foto em destaque: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php