Em pauta, o ato de imaginar e a possibilidade de ligações com fantasias entre humanos

Com duração de três dias, o I Seminário sobre o Imaginário e Comunicação teve início terça-feira, 19, e prossegue até quinta-feira, contando com a apresentação de trabalhos

Por Alec Bessa

Seguindo o fluxo dos eventos disponíveis na programação do Mundo Unifor, o “ I Seminário sobre o Imaginário e Comunicação”, coordenado pelo professor Carlos Velázquez, teve início na terça-feira e será encerrado nesta quinta-feira, 21. O evento tem como ponto de partida discutir os aspectos da humanidade e de seu imaginário.

Num primeiro momento, o professor fez um recorte, utilizando uma analogia sobre como desde os primórdios, o ato de imaginar e de poder fantasiar, ajudou os seres humanos. Para isso, ele se prevaleceu de uma comparação entre o homem Neandertal, que era forte, um caçador nato, apto a partilha, mas, que ainda assim, foi vencido e subjugado pelo homo sapiens, e que, apesar de menos apto, tinha em si, o ato de imaginar, a possibilidade de ligações com fantasias, o que o tornava mais forte: a crença.

Nas palavras de Velázquez, “a essência do ser humano é a ficção”. Foi por meio da formação de assentamentos e do hábito de agricultura, que o indivíduo passou a ter tempo livre e pode fazer uso da sua curiosidade para a criação de mitos. É por meio dessa criação de mitos que se dá o surgimento da Ciência, por exemplo, ao contrário do que se acredita no imaginário popular, onde a Ciência vem primeiro e a imaginação depois. “Somos seres curiosos por natureza”, explica o professor.

No semninário, professor Carlos Velázquez Rueda debate a respeito sobre a relação entre humanidade e ficção / Foto: Ares Soares/Unifor

Apresentação de trabalhos

Em um segundo momento, houve a apresentação de trabalhos – ou podendo aqui ser creditados também enquanto seminários – de alunos e ex-alunos da universidade. O primeiro foi do ex-aluno Jordan Alcântara que tratava sobre a “Teoria do filme Um Lugar Silencioso e o poder do estado democrático”. Logo em seguida foi a vez do psicólogo Hugo Morais apresentar seu trabalho “Hermes e sua era: Um diálogo entre a informação e a mitologia”.

Nesta quarta-feira, em seu segundo dia, com um diálogo descontraído e cheio de perguntas a respeito do mito do herói Remus Lupin, na saga de livros “Harry Potter”, o I Seminário sobre o Imaginário e Comunicação” terá nesta quinta-feira, 21, sua última edição, continuando a lidar com questões como fantasia e humanidade.

Serviço

15h30 às 17h10 – I Seminário sobre Imaginário e Comunicação
Palestrante: Prof. Carlos Velázquez
Modalidade: virtual

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php