Professora pede atenção a nutricionistas e pacientes durante o preparo de dietas

O curso de nutrição realizou evento com alunos e convidados para mostrar a importância de conciliar estratégias alternativas aos métodos tradicionais

Por Pedro Rocha

A nutricionista e professora Larissa Albuquerque afirmou nesta terça-feira, 19, a necessidade de pensar nas dietas de pacientes além dos nutrientes existentes nos alimentos. Na palestra “Atenção plena na alimentação”, na programação do Mundo Unifor, Larissa disse ser importante diversificar as abordagens no preparo dos planos alimentares.

Com a presença de alunos de Nutrição, Direito e Jornalismo, a professora explicou o conceito de mindfulness (atenção plena), a origem na cidade de Massachusetts e a aplicação da teoria nos tempos modernos. Desenvolvida pelo médico John Kabat Zinn, em 1979, a técnica de concentração pede foco nas ações do presente, não se apegando ao passado ou preocupado com o futuro.

Para Larissa, o método desenvolvido por John Kabat traz redução de estresse nos pacientes e outros benefícios, como: diminuição da ansiedade, perda de peso, melhora nos transtornos alimentares e queda no uso de substâncias ilícitas. Segundo a professora, encarar a alimentação sem julgamentos e críticas é fundamental para o uso do esquema, “Pacientes com o costume de julgar têm mais dificuldade de usar a atenção plena”.

A nutricionista explica que conversar com o paciente sobre como ele faz as refeições é tão importante quanto conhecer o que come. “Saber se as pessoas almoçam planejando as próximas atividades do dia é legal. Assim, podemos saber se o paciente está comendo para lidar com os problemas ou está aproveitando a refeição”. Para ela, comer e sentir fome é uma capacidade inata do ser humano.

Nutricionista Larissa Albuquerque e convidados do evento debatem sobre a influência dos alimentos na vida das pessoas / Foto: Divulgação

Durante o encontro, deu dicas de aplicação da atenção plena aos presentes. Segundo Larissa, definir um tempo para praticar as atividades, viver no presente e deter-se em algo como âncora são pontos chaves de funcionamento do método. “Não só na alimentação, a técnica pode ser utilizada em todas as esferas da vida. Até na hora do banho. Se atentar no passo a passo, lembrar se já usou o sabonete de rosto. Por aí vai”, explica.

Em um mundo cada vez mais acelerado e com o mercado de trabalho exigente, respeitar os momentos da vida e os sinais do corpo está mais difícil. Segundo a nutricionista, ter uma relação saudável com a comida é fundamental para o ser humano. “Às vezes, os pacientes possuem uma história de vida por trás dos traumas alimentares”, exemplifica Larissa.

Presente à palestra, a aluna Ludmila Barbosa falou sobre a experiência de vida com a atenção plena. “Durante a minha gravidez consegui perceber bem os sinais que meu corpo estava dando. Algumas vezes me peguei com vontade de comer feijão. Quando fui fazer os exames estava com insuficiência de ferro no sangue. O corpo avisa”.

No final do encontro, a professora deu aos participantes algumas dicas de aplicativos e leituras sobre o tema, como forma de aperfeiçoar e introduzir no assunto os alunos de nutrição e pessoas de outras áreas com interesse. Segundo Larissa, os aplicativos Headspace, Lojong e Meditopia são boas opções para viver no presente. Recomendou também os livros: Atenção plena; comer com atenção plena e nutrição comportamental.

Foto em destaque: Arquivo pessoal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php