Jornalista da TV Globo faz palestra nos 21 anos do curso de Jornalismo da Unifor

Apresentadora do Bom Dia Brasil, participa de live relatando sua experiência ao escrever um livro sobre abuso sexual no Brasil

Por Matheus Araújo

Na manhã desta terça-feira,19, a jornalista Ana Paula Araújo se reuniu com professores e alunos da Universidade de Fortaleza para discutir suas experiências durante a produção do seu livro “Abuso: a cultura do estupro no Brasil”. A apresentadora trabalhou durante quatro anos nesse projeto, após viajar por todo o país entrevistando pessoas que foram vítimas de estupro e também acusados por crimes dessa natureza.

Nascida no Rio de Janeiro, Ana Paula mudou-se ainda pequena com a família para Juiz de Fora, em Minas Gerais, onde cresceu. Aos dezesseis anos, entrou na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Depois, ela conseguiu um estágio como assistente de produção e locutora de comerciais em uma rádio local. Aos dezoito anos, Ana Paula fez um estágio na Rádio Globo, no Rio de Janeiro, e transferiu-se para a Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, onde se formou em Jornalismo.

Ana Paula contou que, durante a produção do livro, precisou tomar ciência da quantidade de casos de estupro que são registrados no Brasil por ano para saber qual enquadramento daria a sua narrativa. Na sua opinião, a maneira com que o público abraça o seu livro é sensacional. Ele contribui para ajudar e informar pessoas sobre o assunto, acredita.

Jornalista passa quatro anos estudando casos de abusos para publicar livro / Foto: Reprodução Internet

Por ter uma rotina corrida como apresentadora no Bom dia Brasil, Ana Paula disse como foi desafiador conciliar a profissão de jornalista com a de escritora. Além disso, ela ressaltou a sua dificuldade em colocar os relatos dos entrevistados no papel. Outro ponto destacado foram as questões emocionais que os conteúdos colhidos causaram nela, por serem materiais sérios e com um peso social enorme.

Durante a palestra, a jornalista chamou a atenção sobre a violência sexual contra crianças e mulheres. De acordo com ela, “estupro não é um crime de satisfação sexual, mas sim de poder”. O violentador exerce um poder sobre a vítima naquele momento e isso é o que mais lhe traz prazer.

Em sua maioria, os casos de estupro no Brasil ocorrem por pessoas confiáveis, ou seja, parentes próximos e líderes religiosos. “Crianças não mentem sobre abuso sexual”, destacou a jornalista quando foi questionada sobre a importância de dar ouvido aos filhos.

A educação sexual em escolas e universidades também foi um assunto tratado durante a palestra. Para Ana Paula, esse tipo de ensinamento deve entrar na grade obrigatória das instituições de ensino de todo o país, porque ela ajuda a informar crianças e adolescentes sobre o seu o corpo e toca em assuntos importantes para a saúde sexual.

Por fim, a apresentadora pontuou a falta de políticas públicas, atendimento psicológico e violência institucional recorrentes no sistema brasileiro. Explicou que o atendimento para vítimas de estupro é difícil e tudo piora quando elas não se sentem acolhidas pelo Estado.

Foto em destaque: Reprodução Internet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php