Primeiro evento-teste autorizado no Estado não registra qualquer caso de Covid-19

Relatório divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado apontou que nenhum caso positivo foi detectado. Protocolo rígido criado pelos produtores foi aprovado

Por Pedro Rocha

A realização do Festival de Jazz & Blues, em Guaramiranga, foi aprovada e vista com otimismo por produtores culturais do setor de eventos no Ceará. Para a jornalista Mª Amélia Mamede, diretora da Via de Comunicação e Cultura, organizadora e criadora do festival, o evento-teste mostrou que é possível a realização das cerimônias durante a pandemia da Covid-19. “Os produtores têm condições de provar que o setor tem responsabilidade e são parceiros para seguir os protocolos. Em casos como o nosso, as pessoas se sentam para assistir aos shows. É bem mais fácil de ter controle”, afirmou.

Em parceria com a Secretária de Saúde do Estado do Ceará (Sesa), por meio da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica e Prevenção em Saúde, a organização do festival monitorou o público presente, enquanto a Sesa ficou responsável pela testagem e desenvolvimento do relatório dos espectadores. O documento informa que, durante os shows e 14 dias depois, foram comunicados às autoridades públicas 54 atendimentos pelas unidades de saúde, sendo 45 relacionados à suspeita de Covid-19, em pessoas envolvidas no espetáculo. Nenhum dos suspeitos testou positivo para a doença.

Com permissão para até 300 pessoas, segundo decreto lançado pelo governador Camilo Santana, o Festival de Jazz & Blues decidiu não utilizar toda a capacidade permitida, estipulando 200 presentes no local. Segundo Ma. Amélia, para a viabilização e organização do projeto era interessante limitar a quantidade de envolvidos. “Para dar o distanciamento e a infraestrutura necessária (com 300 participantes), ia ser muito oneroso. O controle do monitoramento dificultaria muito”.

Evento limitou a capacidade de presentes para respeitar 1,5m entre as pessoas / Fotos: Aurélio Alves

O protocolo estabelecido para a realização do festival previa a realização de teste PCR-RT (exame que atua detectando o material genético do vírus na pessoa) até 48 horas antes do evento. Com rigor e sem abrir exceções, a testagem de todos os presentes, junto com utilização de máscara e distribuição de álcool em gel, foi a forma de controle definida pelos organizadores. “As pessoas do segmento estão fazendo testes constantemente para poder trabalhar em outros eventos. Grande parte delas tinha testado negativo uma semana antes. Mesmo assim, nosso protocolo exigia e fizeram novamente”, disse a diretora da Via de Comunicação.

Com o objetivo conquistado, a produtora cultural exalta a importância do evento-teste nos dias 17 e 18 de setembro, em Guaramiranga. “O nosso objetivo é mostrar a capacidade de, mesmo em momentos de pico de contágio, de haver a execução de festivais no segmento. Por não ser de massa, ele pode não interromper as atividades. É possível controlar o número de pessoas em teatros, diferentemente de shoppings”, concluiu a jornalista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

css.php