Após longo período de espera, filmes de super-heróis voltam aos cinemas e empolgam fãs

Os amantes do gênero regressarão às telonas para apreciar seus heróis. Os Novos Mutantes, da Marvel, foi o precursor desse retorno

Por Vinícius Gabriel

Desde o início da pandemia, que acarretou o isolamento social, as pessoas começaram a procurar variar as formas de entretenimento. Apesar das opções dadas pelos canais de streaming, não era a mesma experiência de sair de cara para ir aos cinemas, sentir aquela energia de ver o filme em tela cheia, em silêncio, junto com outras pessoas. Entretanto, na medida em que a pandemia vem sendo controlada, os cinemas voltam a abrir as suas portas.

Com muitos lançamentos previstos para 2020, e que foram adiados para o ano seguinte, o destaque maior foi para os filmes de super-heróis. Em 2021, já foram lançados os filmes da Marvel, como Os Novos Mutantes, Viúva-Negra, e Shang Chi, além das séries no Disney +. Da Warner/DC estrearam Aves de Rapina, Esquadrão Suicida e a versão da Liga da Justiça de Zack Snyder, mas este último foi promovido no HBOMAX. Também tivemos séries da Amazon Prime, como The Boys e Invencível.

Ainda faltam, porém, mais alguns conteúdos para fechar o ano, dentre eles Venom: Tempo de Carnificina e Homem-Aranha: Sem Volta para Casa. Estes dois últimos são os mais aguardados, já que há rumores de que os dois se conectem e, se isso acontecer, mudará totalmente o patamar dos filmes de super-heróis na questão do multiverso. Um tema que é muito explorado nos quadrinhos do gênero e que é nada mais do que a apresentação de universos paralelos ao universo principal abordado. Inclusive, o tema está sendo abordado na série animada What If, do Disney +. Agora chegou a vez de ser retratado nas películas cinematográficas.

Isso acaba refletindo muito na demanda, já que esse gênero é um dos que mais movimenta o mercado do entretenimento audiovisual, atraindo não só os fãs, mas também a maioria dos públicos. Segundo Glauber Filho, 51, diretor do longa “As mães de Chico Xavier” e professor do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade de Fortaleza, essa não é uma operação nova. “Isso é um movimento natural quando se trata de cinemas de mercado, no qual ele atenderá o interesse dos públicos para vender mais, sempre foi assim. Quando a Disney compra a Marvel e a Fox, ela possuirá os direitos cinematográficos dos personagens, podendo juntar os mesmos de ambas as empresas sem problemas, diferentemente quando os direitos não pertenciam à mesma instituição.”

Nem os próprios super-heróis aguentaram ficar longe dos cinemas / Foto: Ilustração

O impacto maior reside nos amantes do gênero, que estavam ansiosos para darem presença às telonas, depois de um ano sem conteúdo. Pedro Henrique Simão, 20, estudante de Cinema e Audiovisual da Universidade de Fortaleza, se diz muito ansioso sobre o impacto que causou antigamente e que ainda pode causar. “Nas últimas quatro décadas, filmes de ficção científica ganharam mais força. E um dos que revolucionou nesse aspecto foi Matrix, com sua inovação tecnológica servindo de exemplo até hoje e os filmes de super-heróis seguem esse percurso. Faz muito tempo que os quadrinhos existem e têm muita história a ser contada. A Marvel, por exemplo, mesmo com 10 anos de seu universo cinematográfico, não fez nem 1% do que eles são capazes de produzir”, explica.

Pedro Henrique conta que espera ver nessa nova etapa do universo de super-heróis nos cinemas. “Com essa nova fase de multiversos, eles terão um leque enorme de possibilidades para explorar, como estão fazendo com as séries, conectando-as aos filmes, já que são poucas que conseguem fazer isso. Esse feito é muito comum no Japão com os animes se conectando aos filmes”. Ele acredita que, com o fim da pandemia, as obras deste gênero talvez sejam uma forma de aliviar a pressão que passamos e esquecer um pouco do caos. “Enquanto  o cinema existir, esse gênero vai permanecer por muito tempo, trazendo ainda mais demanda e entretenimento, aspectos que mais movimentam o mercado audiovisual”, complementou Pedro.

Conforme o tempo passa, os filmes do gênero vão inovando cada vez mais, principalmente em temas que englobam a sociedade. Muitos deles fazem você se identificar com os personagens e também com os atores que interpretam, criando até afeto por eles. Também incentivam a leitura de quadrinhos e livros para descobrir mais histórias sobre um determinado herói, podendo levar à descoberta de outros que não foram ou irão ser apresentados no cinema. Essa é a mágica dos filmes de super-heróis.

Foto em destaque: Marvel/Disney

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php