100 anos de Paulo Freire: trajetória e influência freireana na educação brasileira

A jornalista, escritora, professora e doutora em Educação, Alessandra Oliveira fala sobre Paulo Freire, o reconhecimento internacional do educador pernambucano, sua influência na educação brasileira e a importância do método de alfabetização de adultos

por Lorena Cabral, Pedro Rocha e Taisy Evangelista —

O centenário do educador pernambucano Paulo Freire, que próximo domingo, dia 19 de setembro, completaria 100 anos, está sendo comemorada por todos que admiram o educador mais conhecido de língua portuguesa. Respeitado internacionalmente, o educador recebeu títulos de Doutor Honoris em diferentes países, como: Estados Unidos, Argentina, Espanha e Alemanha. O reconhecimento de Freire veio com a criação do método de alfabetização de adultos, que foi responsável pelo aprendizado de trezentas pessoas da cidade de Angicos, interior do Rio Grande do Norte.

Segundo a professora Alessandra Oliveira, Paulo Freire “é super importante no cenário educacional mundial e na pesquisa acadêmica. Ele é lido no mundo inteiro, homenageado no mundo inteiro, a sua contribuição para educação vem transformando as práticas de ensino em muitos lugares”, comenta. [Leia entrevista com Alessandra Oliveira que lançou recentemente o livro ‘‘Ester conhece Paulo Freire’.]

De acordo com Alessandra, é necessário homenagear Paulo Freire por tudo que ele representa, pelos caminhos que a educação brasileira teve que trilhar e por ter sido uma figura que enfrentou o desafio de pensar em outra forma de educação. A professora destaca ainda que Paulo Freire pensava a educação como uma prática de liberdade.

Ninguém tem liberdade para ser livre: pelo contrário, luta por ela precisamente porque não a tem. Ninguém liberta ninguém, ninguém se liberta sozinho, as pessoas se libertam em comunhão.” (Paulo Freire)

O renomado educador pernambucano, Paulo Freire, completa 100 anos no dia 19 de setembro / Fonte: Acervo Paulo Freire

Mas, afinal, qual foi o papel de Paulo Freire na educação? Os principais elementos que se destacam referente à concepção freiriana é a educação da experiência e que o conhecimento está sempre em construção. Em seu método, há uma troca entre saberes e o ensino deve se adequar a realidade do aluno. Freire é crítico do que chamava de “educação bancária”, baseada no método de ensino tradicional, no qual o professor é o detentor de todo o conhecimento, enxergando o aluno como um depósito de informações. Oliveira afirma que, na visão de Paulo Freire, o processo de ensinar e aprender é muito complexo.

A jornalista Alessandra Oliveira / Fonte: Arquivo pessoal

Para Alessandra Oliveira, Paulo Freire pregava uma educação com amor, a inclusão e um aprofundamento científico, a construção de um pensamento crítico a partir do diálogo. “O pensamento incomoda, a partir do momento que você consegue fazer uma leitura do seu contexto, você não consegue mais ficar calado, você não consegue mais ficar sem agir”.

A professora rebate as críticas que falam que Paulo Freire é doutrinador e afirma que “dizer que é contrário a qualquer ideologia, a qualquer pensamento ideológico na escola, é propagar a sua ideologia”. Ela acrescenta também que toda educação, sem exceção, segundo Paulo Freire, parte de posicionamento e visão de mundo.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php