Filme aborda racismo e negligência à dignidade após a morte

por Rafaela Alves

Estreou na quinta-feira (3) o filme “M8 – Quando a Morte Socorre a Vida”, dirigido por Jeferson De. O longa tem como personagem principal, Maurício (Juan Paiva), um jovem negro da periferia do Rio de Janeiro que ingressou na Universidade Federal de Medicina atráves do sistema de cotas. Logo na sua primeira aula de anatomia, Maurício sente o choque de ser o único negro da sua turma. Durante a aula, ele e seu grupo recebem um cadáver, denominado de M8, que servirá de estudo para todo o semestre. Enquanto o examina, Maurício percebe que todos os cadáveres naquela sala são de pessoas negras.

A questão em cima da trama busca encontrar a identidade de um corpo doado à ciência. Este problema inquieta o personagem principal, que durante sua busca pelo nome de M8, precisa também enfrentar as suas angústias pessoais.

O filme consegue trazer para dentro do contexto diversos assuntos que podem ser discutidos em nossa sociedade. Lançado exatamente em um ano em que ocorreram vários acontecimentos relacionados a lutas raciais, que entraram para a história e em que a pauta do racismo está em bastante evidência, o diretor decidiu abordar o tema relacionado à morte, fé, união, ancestralidade, mas principalmente à violência e negligência à dignidade após a morte.

“M8”  é baseado no livro homônimo do autor Salomão Polakiewicz, foi produzido em 2018 e tinha data de estreia prevista para 2019, porém, com o surgimento da pandemia, só pode ser lançado quase um ano depois.

Ficha Técnica:

Data de lançamento: 3 de Dezembro de 2020 (em cartaz)

País: Brasil

Ano de produção: 2018

Direção: Jeferson De

Duração: 1h14min

Confira a seguir o trailer do longa:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php