Ruby Bridges: a primeira criança preta a se matricular em uma escola para brancos nos Estados Unidos

Por Clariana Matias

Escrito por Toni Ann Johnson e dirigido por Euzhan Palcy, Ruby Bridges é um filme norte-americano lançado em 1998. O longa é baseado em fatos reais e conta a história da ativista Ruby Bridges, a primeira criança preta a se matricular em uma escola primária caucasiana, em Louisiana, nos Estados Unidos, em 1960. 

O governo federal dos Estados Unidos garantiu a integração entre brancos e pretos nas escolas, mas New Orleans ignorava essa decisão. Após realizar um teste de conhecimento, Ruby Bridges (interpretada por Chaz Monet), uma garota de seis anos, é uma das poucas crianças escolhidas para estudar em uma escola de brancos. Sua mãe (representada por Lela Rochon)  vê isso como uma oportunidade boa e fica muito orgulhosa da filha, mas seu pai (vivido por Michael Beach) não concorda com isso, temendo as repressões que Ruby possa enfrentar. Seu primeiro dia de aula chega e Ruby tem que se dirigir à escola acompanhada da mãe e de policiais, para que a possam proteger da multidão enfurecida composta por pais e adolescentes.

Diversos termos racistas são ditos pelos protestantes brancos que se recusam a aceitar pretos nas escolas de seus filhos. Ruby passa a ter aulas sozinha por conta do racismo da escola, mas encontra em sua professora uma amiga e admiradora de sua luta. Com toda a repressão sofrida todos os dias quando entra e sai da escola, Ruby adota comportamentos que não apresentava antes e começa a ter consultas com um psicólogo, Dr. Robert Coles (Kevin Pollak). Suas análises são importantes para a superação do trauma de Ruby e sua autoestima como uma criança preta. 

O filme foca no desenvolvimento da personagem principal e  dos que estão a sua volta, como o seu pai, por exemplo. Com o passar do tempo, ele enxerga que o que a filha está fazendo, apesar de doloroso, é necessário para que outras pessoas pretas conquistem seus direitos. Funcionários e alunos de sua escola começam a aceitá-la  e vemos que crianças não nascem racistas, apenas reproduzem o comportamento que observam na sociedade. Sua vizinhança, que enxergavam a família da criança como traidora, por deixarem a filha ir a uma escola de brancos, sentem orgulho de Ruby com o decorrer do longa. O filme está disponível na plataforma de stream Disney Plus. 

Ruby Bridges da vida real sendo escoltada por policiais. Foto reprodução.Homenagem 

Em 2014, uma estátua da menina foi colocada  no pátio da Escola Elementar William Frantz (William Frantz Public School). Seu objetivo é eternizar a sua importância na instituição de ensino e na sociedade norte-americana. 

Ficha Técnica

 Ruby Bridges

Ano: 1998

Direção: Euzhan Palcy.

Duração: 96 min.

País de origem: Estados Unidos.

Gênero: Animação, Fantasia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php