Série Duna chega aos cinemas só no ano que vem

por Raquel Sant’Ana

A adaptação cinematográfica da série de livros Duna (Dune, em inglês), escrita pelo estadunidense Frank Herbert, teve seu lançamento adiado para outubro de 2021. Por conta da pandemia de Covid-19, diversas produtoras decidiram atrasar as estreias de seus filmes. Além de Duna, Batman, estrelando Robert Pattinson, foi postergado para outubro de 2022. Outras grandes produções que sofreram mudanças em seus calendários foram 007- Sem Tempo Para Morrer, Velozes e Furiosos 9, Viúva Negra, Mulher Maravilha 1984, entre outros. 

O filme é estrelado por Timothée Chalamet (“Me Chame Pelo Seu Nome”), Rebecca Ferguson (“Missão: Impossível – Nação Secreta”) e Oscar Isaac (“Star Wars: Os Últimos Jedi”).

O longa é dirigido pelo franco-canadense Denis Villeneuve, que alcançou destaque na indústria cinematográfica com filmes como A Chegada (2016) e Blade Runner 2049 (2017), ambos indicados ao Oscar. Com currículo brilhante, Villeneuve já provou sua aptidão em dirigir ficções-científicas, mas o complexo universo de Duna será um novo desafio ao diretor. Em entrevista ao La Presse, Villeneuve conta que a adaptação foi dividida em dois filmes. “Minha vontade era de filmar os dois filmes ao mesmo tempo, mas seria muito caro. A gente fez um após o outro”, explica.

Outras adaptações

Designs de personagens para a adaptação de Jodorowsky (créditos: Moebius | via www.heavymetal.com)

Publicado em agosto de 1965, o romance de Frank Herbert influenciou outras grandes histórias de ficção-científica ao decorrer dos anos, como a célebre trilogia Star Wars. No entanto, as tentativas anteriores de adaptar a saga aos cinemas tiveram pouco sucesso. Uma delas, desenvolvida pelo cineasta franco-chileno Alejandro Jodorowsky, nem mesmo chegou às telas. A adaptação teria dez horas de duração e contaria com Salvador Dalì, Orson Welles e Mick Jagger em seu elenco. Do projeto, restaram apenas as artes conceituais dos artistas Moebius e H.R. Giger e o documentário Jodorowsky’s Dune (2013), dirigido por Frank Pavich.

Outra adaptação, que desta vez chegou às telas, foi dirigida em 1984 por David Lynch, futuro diretor de Twin Peaks (1990). O filme foi um desastre financeiro e escrachado pelos críticos. O fracasso foi tanto que até hoje Lynch diz ter “zero interesse” em assistir qualquer adaptação do livro, incluindo a de Villeneuve. “[O filme] foi uma dor de cabeça para mim. Foi um fracasso e eu não tive a decisão final. Eu já contei essa história bilhões de vezes. Não é o filme que eu queria ter feito. Eu gosto muito de algumas partes, mas foi um fracasso total para mim”, Lynch contou ao Hollywood Reporter em maio deste ano.

https://twitter.com/IMDb/status/1303846254120775681
O portal IMDb comparou cenas das adaptações de Villeneuve e Lynch.

A saga original

Graças ao seu romance Duna, Frank Herbert recebeu o Nebula Awar, em 1965, e o Hugo Award, em 1966. (imagem: Wikimedia Commons)

O universo de Duna se diferencia de outras ficções futuristas: o império intergaláctico segue um sistema feudal e não existem robôs nem computadores. Essas “máquinas pensantes” foram proibidas e, em vez delas, a humanidade agora depende de guerreiros e bruxas com poderes mentais misteriosos. No entanto, essas habilidades dependem da especiaria conhecida como “mélange”, muito rara e encontrada apenas no planeta-deserto Arrakis.

É neste planeta que acompanhamos a história do jovem Paul, herdeiro da importante Casa Atreides. Por conta do interesse do Império na extração da especiaria, Arrakis é ponto central de várias tramas políticas que, às vezes, podem ter resultados violentos. 

O romance é recheado de temas políticos, filosóficos e religiosos e se destaca pelo foco dado à ecologia e natureza. Com um clima hostil e extensos desertos, Arrakis parece ser um local improvável de se encontrar vida, mas esta suposição está longe da realidade.

Mas aos interessados na obra, um aviso: é preciso compromisso. O romance possui mais de 500 páginas, excluindo o mini-dicionário de termos ao final do livro. E Duna é apenas a porta de entrada para a saga de seis volumes de Frank Herbert, estendidos, mais tarde, pelos romances de seu filho, Brian Herbert, e o escritor americano Kevin J. Anderson.

Ficha Técnica

Título: Duna (Dune, no original em inglês)

Autor: Frank Herbert

Tradução: Maria do Carmo Zanini

2ª Edição

Editora: Aleph

Páginas: 680

Preço: R$ 84,90

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php