Maria Bethânia faz 74 anos e continua a senhora do engenho

por Douglas Sales

A Abelha Rainha da música brasileira comemora seu aniversário de 74 anos afastada dos palcos. Maria Bethânia tem o palco como um lugar sagrado, a arena, como se refere. E o seu afastamento, como era de se esperar de uma artista que não vê a aposentadoria como possibilidade, não se deu por vontade própria. Devido aos cancelamentos e adiamentos de eventos relacionados à pandemia da COVID-19, Maria Bethânia seguiu os ensinamentos da grande dama dos palcos brasileiros, Bibi Ferreira, e soube que “entender a vida é ser inteligente”. Resguardou-se em seu altar.

Dona de uma carreira que perpassa quase seis décadas, Maria Bethânia iniciou sua trajetória artística em 1964. Tornou-se a primeira mulher a ultrapassar a marca de 1 milhão de discos vendidos; levou a MPB da FM também para a AM, com o sucesso de Olhos nos Olhos; e, mesmo depois de tantos anos, continua produtiva e com uma vivacidade inarredável. 

Capa do álbum “Mangueira – A Menina dos Meus Olhos”. Foto: Reprodução.

O último álbum de estúdio gravado pela intérprete é uma resposta à homenagem que a Estação Primeira de Mangueira fez à baiana no samba-enredo campeão de 2016. Em Mangueira – A Menina dos Meus Olhos, Bethânia interpreta clássicos do samba e canções de amor à Escola, pela qual nutre uma paixão antiga. Bethânia diz que sua paixão pela Mangueira deu-se quando havia acabado de chegar ao Rio de Janeiro, em meados dos anos de 1960, e um amigo a convidou para ver um desfile das Escolas de Samba. A beleza da Escola entrando na avenida, no alvorecer do dia, nunca saiu de seu coração, afirma. 

Se você ainda não é familiarizado com a vasta obra de Maria Bethânia – ou se ainda não conferiu seu último lançamento – a dica imperdível é ouvir este álbum que mais do que uma homenagem, é um presente que Bethânia dá a todos nós. 

Maria Bethânia comemora 74 anos mais soberana do que nunca, certa de seu posto de rainha, mas com a mesma humildade e honestidade de menina de Santo Amaro. Cresceu para tornar-se, como diz os versos da música da qual Caetano Veloso usou para escolher o nome da irmã, a senhora do engenho.

 

 

Ficha técnica:

Artista: Maria Bethânia

Ano de lançamento: 2019

Gravadora: Biscoito Fino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php