Segundo dia de Indício-E encoraja alunos que já pensam em edições seguintes

Por Eduarda Pessoa

 

Hoje (4), aconteceu o segundo dia do Indício-E, evento que seleciona produtos dos cursos de Comunicação Social da Unifor para participarem no congresso regional Intercom Nordeste. Nesta quinta, foram realizadas 78 apresentações de trabalhos que se classificam entre as categorias de Jornalismo; Rádio, TV e Internet; Cinema e Audiovisual; Publicidade e Propaganda, etc. 

Ainda se familiarizando às mudanças do evento para a plataforma on-line, os participantes se mantém no compromisso de entregar bons resultados e superar possíveis limitações pela falta de contato presencial. Alice Araújo, que participa do Indício desde o ano passado, se apresentou hoje com o documentário jornalístico “Calon conta, Calon canta – Narrativas Ciganas” e fala da sua experiência, destacando a assistência recebida que ajuda a conduzir os contratempos. “Sinto falta da sala, dos avaliadores olhando pra gente e pro nosso trabalho e, claro, de ver cada colega assistindo. Agora, pelo lado positivo, estamos em casa, o que é mais confortável, e todos os professores estão sendo bem flexíveis quanto aos problemas técnicos do formato digital e afins”.

As vantagens da realização on-line, à distância, contemplaram, sobretudo, a aluna Yasmin Rodrigues, que pôde participar ativamente do evento diretamente de Roma, na Itália, lugar onde realiza intercâmbio. Ela apresentou  a reportagem multimídia “Fé: o que nos conecta?” na modalidade de Produção em Jornalismo Literário. Sobre a sua estreia no Indício, ela comenta: “Eu fiquei feliz de poder apresentar, nós conseguimos explicar bem tudo que estávamos planejando. Depois, nossos jurados deram dicas e elogiaram o trabalho. No começo, eu estava nervosa, mas depois foi só alegria. Agora, estamos ansiosas pelo resultado”. 

Assim como Yasmin, os alunos que participam do evento pela primeira vez este ano demonstram entusiasmo e desejo de vivenciar a experiência presencialmente nas edições seguintes. Victoria Crisostomo, que se apresentou nesta quinta na modalidade Produção Multimídia (avulso), com o  trabalho “Como o autoatendimento no transporte público afeta o fortalezense”, está motivada a participar mais vezes. “Agora, eu vou fazer os meus trabalhos com mais cuidado ainda, pensando em uma próxima apresentação do Indício, em possíveis categorias que eu possa me apresentar”, comenta a estudante de Jornalismo.

O trabalho, desenvolvido na disciplina de Jornalismo Investigativo 2019.2, aborda as implicações do autoatendimento no transporte público de Fortaleza, que, até o ano passado, foi implementado  em grande parte da frota de veículos. Na ocasião, a produção foi elogiada pela relevância do tema e envolvimento dos membros da equipe que apuraram com precisão as dificuldades da população em acessar os ônibus. 

Natália Coelho, que participa desde o ano de 2018, fala de aspectos que sente falta no encontro virtual e, em contrapartida, dá detalhes de sua experiência nas edições anteriores.  “Acho que falta o afeto do presencial, algo que acredito que o digital não vai conseguir nunca substituir. Ouvir as palmas dos amigos, ver as reações de todo mundo, ter a possibilidade de ouvir cara a cara as recomendações, faz falta”. Contudo, a veterana destaca algo que só foi possível este ano, a flexibilidade de acesso às apresentações. “Acho que o melhor foi poder assistir às outras apresentações com mais facilidade. Consegui ver muito mais do que se fosse no físico”, ressaltou. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php