Oscar 2021 indicará filmes de streamings não exibidos no cinema

por José Bessa

Com a proliferação do novo coronavírus pelo mundo, diversas atividades comuns no cotidiano se tornaram inviáveis porque geram aglomerações, como é o caso das sessões de filmes em salas de cinema. Sabendo disso, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, fundadora e organizadora oficial da premiação do Oscar, decidiu que, em 2021, aceitará a disputa de filmes de serviços de streamings que não foram transmitidos em cinemas.

O cinéfilo Pedro Victor Praxedes. Foto: Arquivo pessoal.

O cinéfilo Pedro Victor Praxedes, de 19 anos, diz que quando vai a uma sala de cinema ou à uma plataforma de streaming, o objetivo é o mesmo, encontrar algum entretenimento, ou seja, independente do filme ser lançado em cinemas ou de maneira digital, o público espera ver um bom filme e se este é bem feito será digno de concorrer ao Oscar. Portanto, o local onde longa será lançado não deveria impedir o seu reconhecimento na maior premiação da sétima arte.

Anteriormente, os filmes das plataformas de streamings, como Netflix e Amazon Prime Video, que desejassem concorrer a qualquer categoria do Oscar precisavam ficar em cartaz nos cinemas de Los Angeles, cidade sede da Academia, por pelo menos sete dias. Entretanto, com a impossibilidade de várias salas de cinema voltarem a abrir este ano,  David Rubin, presidente da organização do evento, revelou em comunicado oficial no site do evento, que a edição de 2021 não terá a obrigatoriedade do comprimento desta regra.

A Academia acredita firmemente que não há maneira melhor de experimentar a mágica dos filmes do que ao vê-los em um cinema. Nosso compromisso com isso segue inalterado e inabalável. Não obstante, a historicamente trágica pandemia da Covid-19 precisa dessa exceção temporária à nossas regras de qualificação. – David Rubin

O professor do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade de Fortaleza (Unifor), Valdo Siqueira, acredita que esta exceção para longas de streamings no ano de 2021 possa ser incrementada nos regulamentos da premiação, pois acredita que, tanto as produções voltadas para as salas de cinema quanto aquelas voltadas para o conforto de casa, tenham o mesmo espaço no evento.

Já o diretor Glauber Filho, responsável pela produção dos longas Bate Coração e As Mães de Chico Xavier, diz que esta atitude da Academia é um início de adaptação em relação à forma que o público está consumindo cinema, visto que muitos longas estão encontrando seus espaços nos sistemas de streaming.

Todos os filmes da plataforma de streaming Netflix que já foram indicados ao Oscar. Infografia: Halleyxon Augusto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php