A música em tempos de pandemia

por Selene Facó

Estamos vivendo um cenário que nunca foi visto pela grande maioria da população mundial. Tal situação está mudando o modo de viver, agir e pensar de muita gente, e é o caso de vários setores da economia estão precisando se reinventar e ressignificar seu modo de trabalho para se adaptar a essa nova realidade, como é o caso do setor musical.

Com as novas tecnologias, os artistas de um modo geral, estão podendo divulgar seus projetos musicais, ajudar muitas pessoas que estão precisando durante esse período de pandemia por meio de doações que são feitas por eles ou por empresas parceiras durante suas transmissões ao vivo. Além disso, fazem “shows” ao vivo (lives), que ocorrem dentro de suas próprias casas ou espaços especiais e são transmitidas para seu público por meio de suas redes sociais. 

A artista Adna Oliveira. Foto: Arquivo pessoal.

A cantora, compositora e atriz Adna Oliveira (63), é uma das pessoas que tiveram seus projetos pessoais e profissionais interrompidos por conta da pandemia. “Como pessoa comum, poucas coisas mudaram. Continuo indo no mercado, farmácia. Mas como cantora e atriz deixei de gravar alguns vídeos que fui convidada e também de fazer um show que estava previsto para ocorrer dia 30/04”, conta.

Em contrapartida, novos projetos e reflexões positivas também podem surgir durante esse período tão atípico. “Para minha surpresa, o mais novo e inusitado foi conseguir realizar meu trabalho em casa. Gravei minha primeira campanha para a Prefeitura Municipal de Fortaleza sobre o uso da máscara como recurso para minimizar o contágio da COVID-19. Também passei a avaliar meus momentos de isolamento, que já existiam antes mesmo da pandemia, principalmente durante uma agenda mais movimentada” revela.

A estudante Isabela Serpa. Foto: Arquivo pessoal.

Com ou sem pandemia e isolamento social, a arte, em suas mais diversas vertentes, tem o objetivo de passar uma mensagem para quem a aprecia, seja em forma de música, filme, teatro ou poesia. “Acho que independente do momento que estamos vivendo, minha mensagem sempre será a mesma e que não importa como ela vai ser transmitida, e sim, ela chegar de forma clara ao meu público”, explica a estudante de Publicidade e Propaganda, cantora e sanfoneira, Isabela Serpa (20).

Festival Cultural “Dendicasa”

Entre os diversos meios que esses artistas criaram para conseguirem exercer seus trabalhos em meio a essa pandemia, a Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult) criou o “I Edital Festival Cultura Dendicasa: Arte de Casa para o Mundo”, onde foram selecionados 400 projetos entre os mais de 1700 inscritos. “A cultura é um direito humano e é papel do Estado construir possibilidades para que toda a população cearense tenha acesso a produção cultural realizada e também como uma forma de injetar recursos na cadeia produtiva da cultura” afirma a Secretária Executiva da Cultura da Secult CE, Luisa Cela.

O Festival será lançado no sábado (23) numa plataforma também criada pela Secult e tendo a parceria da TVC, que fará 6 programas com intuito de levar esses conteúdos para a televisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php