5+ alimentos que combatem a ansiedade

por Bruna Maria

 

Segundo matéria publicada pela Revista Exame, em junho de 2019, o Brasil é o país que mais sofre com problemas de ansiedade no mundo. O atual isolamento social, período de instabilidade na vida cotidiana e de alterações cada vez maiores na rotina e a incerteza de quando esse processo irá acabar, podem agravar ainda mais os sintomas de ansiedade.

A dieta no combate à ansiedade, de acordo com a nutricionista Camila Rocha, entrevistada pelo Jornalismo NIC, inclui o consumo de alimentos ricos em nutrientes como magnésio, zinco, ômega 3, fibras e triptofano. Esses nutrientes ajudam a regular a microbiotica intestinal e a aumentar a produção de serotonina, o hormônio que proporciona a sensação de bem-estar.

Além disso, para Camila, é essencial reduzir o consumo de alimentos ricos em açúcar, como chocolate, pois levam ao efeito rebote (picos de satisfação seguidos de ansiedade).

A nutricionista que trabalha em um hospital de referência em atendimento aos pacientes com Covid-19 viu a necessidade de intervenção com funcionários e acompanhantes devido ao cenário atual de pandemia, onde foi observado o aumento de quadros de ansiedade ocasionados pelo trabalho extenuante e depressão de acompanhantes por falta de informações a respeito do quadro clínico dos pacientes internados. 

Diante desse novo cenário, a profissional passou a priorizar uma dieta com a utilização de alimentos que podem ajudar no combate à ansiedade em refeições oferecidas aos funcionários e acompanhantes. Dos alimentos por ela mencionados, separamos cinco dicas para aderir à dieta que combate a ansiedade.

Confira na sequência.

 

1 – Fontes de Magnésio 

São imprescindíveis para o relaxamento muscular, melhoram a concentração e reduzem a ansiedade  Encontradas em castanhas (do pará e de cajú), nozes, banana e chia.

Foto: Reprodução

2 – Fontes de ômega 3

Presentes na sardinha, salmão, atum e abacate, o ômega 3 é considerado uma gordura boa, pois atua na queda da ansiedade além de ser anti inflamatório. Esses alimentos são utilizados como complemento terapêutico da depressão além de ajudarem na prevenção de doenças cardiovasculares e melhora da memória.  

Foto: Reprodução

3 – Fontes de triptofano

Ele  é um neurotransmissor importante nos processos bioquímicos do sono e do humor, e também é o aminoácido precursor da serotonina (substância que atua na regulação do sono, apetite, temperatura do corpo, movimentos e, principalmente, coordenando funções intelectuais fundamentais) . Ele é achado em alimentos como carne, ovo, peixe, leite e derivados. O consumo dos alimentos que contém esse aminoácido devem ser realizado preferencialmente pela manhã para que seu efeito atue durante todo o dia.

Foto: Reprodução

4 – Frutas cítricas 

Exemplos conhecidos dessas frutas são o  abacaxi, a acerola e a laranja. Todas são fontes de vitamina C,  antioxidantes e também atuam na diminuição do estresse;

Foto: Reprodução

5-  Fonte de fibras 

As fibras ajudam a regular as funções do sistema digestivo, estimulando a motilidade intestinal (trânsito intestinal). Contribuindo com a consistência normal das fezes, prevenindo a diarreia e a constipação intestinal. Exemplos desses alimentos são os  cereais integrais, as verduras e legumes in natura (alimentos de origem animal ou vegetal que são consumidos em seu estado natural).

Alimentos que devem ser evitados: 

  1. Bebidas açucaradas;
  2. Açúcar e doces;
  3. Cereais refinados (arroz branco);
  4. Alimentos embutidos (presunto, salsicha, mortadela);
  5. Bebidas alcoólicas.

De acordo com a nutricionista, sempre que possível, procure consumir uma alimentação variada e colorida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php