Grimes lança novo albúm mais sombrio e pessoal

Por Sarah Viana e Thomás Regueira

 

No dia 21 de fevereiro deste ano foi lançado o quinto álbum de estúdio “Miss Anthropocene” da cantora canadense de pop eletrônico e industrial underground independente Grimes (nome artístico de Claire Boucher). Faz cerca de cinco anos que a cantora estava sem lançar um novo álbum, porém, o álbum foi anunciado em março de 2019 com o single “We Appreciate Power”, parceria com a cantora Hana e uma das faixas do novo álbum.

O título do álbum faz alusão a uma “deusa antropomórfica das mudanças climáticas”, inspirada na mitologia romana. Cada faixa aborda diferentes discursos, como aquecimento global, visões sobre a morte e inteligência artificial. Em relação ao álbum anterior, o animado e mais voltado para o pop “Art Angels”, “Miss Anthropocene” acaba seguindo um conceito mais sombrio e estabelece um equilíbrio sonoro entre o último trabalho de Grimes, mais colorido, e os anteriores (“Visions”, “Halfaxa” e “Geidi Primes”).

A grande beleza do álbum está nas faixas mais lentas e, diferentemente dos outros trabalhos, Grimes buscou uma abordagem mais pessoal e em algumas optou por colocar ritmos mais acústicos e com menos autotune, como é o caso de “Delete Forever”, música que fala sobre a morte de artistas (amigos de Grimes), como o rapper Lil Peep, por conta de overdose de heroína e sobre o estado de “elevação” que a droga leva, além sobre a crise dos opióides nos EUA. Algumas faixas também acabam por conduzir as emoções dos ouvintes através das diferentes batidas e ritmos, como é o caso de “4ÆM” e “My Name is Dark”.

Até o momento, a cantora lançou videoclipes das faixas “We Appreciate Power”, “Violence”, “Delete Forever”, “IDORU” e “You’ll miss me when im not around”. No caso desse último, a cantora gravou todo o clipe apenas com uma tela verde para que as pessoas se aventurassem na edição do vídeo como uma forma de aproveitar o tempo durante a quarentena. Assista abaixo o clipe e, se quiser se aventurar na edição, baixe os arquivos brutos disponibilizados na descrição do vídeo.

 

“Miss Anthropocene” é uma obra bastante profunda e capaz de provocar diferentes sensações e, assim como as demais músicas de Grimes, acabam por fazer com que as pessoas “viajem” pelas melodias. Escute abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php