Palestra aborda diferenças fisiológicas e sociais entre gêneros

por Sarah Viana e Viviane Ferreira

A sororidade e o feminismo foram os pontos centrais do debate, que trouxe abertura para discutir sobre a rivalidade que ainda existe entre as mulheres atualmente e em como isso perpassa desde o início da humanidade. Após a exibição do polêmico episódio de “Big Brother Brasil 2020”, onde a participante e cantora Manu Gavassi traz a palavra sororidade para explicar sobre a união que as mulheres deveriam ter, o termo passou a ser o mais pesquisado no Google. 

As professoras Zaneir Teixeira, doutora em Direito e professora da graduação e da pós-graduação, e Rafaela Vieira Correa, professora doutora e endocrinologista, conversaram sobre a história da mulher e em como o machismo afeta tanto homens quanto mulheres. A palestra “Sororidade: o que nos une é apenas fisiologia?” fez parte do I Simpósio Multidisciplinar sobre os Direitos das Mulheres, trazendo um público majoritariamente feminino. 

As professoras Zaneir Teixeira e Rafaela Vieira Correa. Foto: Viviane Ferreira.

Além de falar sobre irmandade entre mulheres, as professoras também trouxeram a reflexão sobre o enraizamento da rivalidade entre o público feminino. “Eu não inviabilizo minhas colegas com medo delas passarem por cima de mim”, afirma Zaneir Teixeira. A busca pela desconstrução social em cima do papel da mulher e sobre como as mulheres devem se portar tornou-se um dos principais objetivos do movimento feminista, além da igualdade de gênero. 

Apesar de toda uma história de luta e conquista de direitos, as mulheres presentes no debate contaram com uma análise fisiológica sobre as diferença dos gêneros, que de acordo com a Dr. Rafaela Vieira, não existia. A professora discutiu sobre como os hormônios são parecidos entre os gêneros, além de outros aspectos do corpo como o colesterol que é presente tanto no homem quanto na mulher. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php