O Brasil sob o olhar de intercambistas

Por Matheus Pires

A cada semestre, chegam novos estudantes internacionais na Universidade de Fortaleza. Vindos de vários lugares do mundo, estes universitários começam a viver em um novo país permitindo que formem uma opinião diferente do Brasil da que possuem os cidadãos brasileiros. Eles podem observar coisas do nosso cotidiano que passam despercebidas para nós. 

Saber o que esses intercambistas percebem do Ceará e do Brasil pode ser mais um caminho para que seja adquirida uma noção importante, por parte da população nacional, sobre como é o Brasil sob o olhar estrangeiro.

Antes

Danna Yisella. Foto: Arquivo Pessoal

A colombiana Danna Yissela, de 18 anos, que está cursando Jornalismo, foi muito positiva ao retratar como ela via o país antes de vir para cá. “Eu acho que para todas as pessoas, o Brasil é alegria, felicidade, cores, praias, cristo redentor”.

Já o estudante de Administração que veio da Suíça, Yanick Vicent Saner, de 29 anos, encara o Brasil como uma nação muito grande, que possui enorme mistura de raças e diversidade.

Entretanto, a aluna austríaca do curso de comércio exterior, de 22 anos, Bettina Wolf, foi mais dura em suas declarações a respeito de como o Brasil era visto por ela antes de sua vinda. “Eu acho que por influência da mídia, a gente não tinha uma imagem boa do Brasil. Eu diria que a minha visão do Brasil, antes de minha chegada, era a de uma nação muito pobre, com muitas pessoas em estado de pobreza, quase sem dinheiro, muita corrupção e coisas ilegais acontecendo, além de ser um lugar perigoso no qual se deve tomar cuidado”. Bettina também ligava a imagem do país ao futebol, ao samba, ao carnaval, às praias e pessoas bonitas. 

Yanick Vicent. Foto: Arquivo Pessoal

Depois

Bettina Wolf. Foto: Arquivo Pessoal

Danna continua bastante feliz com sua experiência de intercâmbio. “A minha opinião sobre o Brasil não mudou, é tudo muito, muito bom. As pessoas, os lugares, a universidade, tudo muito bom”. Já Yanick, não está vendo muitas mudanças em relação ao que esperava, muita diversidade.

No entanto, Bettina viu sua opinião quanto ao Brasil mudar completamente. “Com certeza, mudou sim, 100%. Primeiramente, as pessoas. Eu achava que iria para um país sem tanta diversidade de raças, mas há muitas aqui. Eu também não esperava que o Brasil fosse tão receptivo, imaginava que fosse, mas não tanto assim. Eu nunca experienciei algo assim, porque venho de um país de pessoas mais frias. Além disso, o Brasil não é tão perigoso quanto eu achava, é mais desenvolvido do que pensei. As regiões são muito diferentes umas das outras, algo que eu não sabia. Só agora pude entender que o Brasil é muito mais do que uma só cultura, são várias, é um país imenso, e tem uma qualidade de vida melhor do que eu antecipei”, explica.

Infografia: Halleyxon Augusto

Um comentário em “O Brasil sob o olhar de intercambistas

  • 21 de fevereiro de 2020 em 15:11
    Permalink

    O Brasil é realmente um grande e lindo País, mas as pessoas abandonaram o patriotismo em favor do bem pessoal, a administração pública, deixa muito a desejar; a educação de qualidade é destinada a poucos, mas acho que é um excelente País para se fazer intercâmbios, até mesmo para que aqueles que não tem acesso a Países de primeiro mundo, possam conhecer pessoas com outras culturas e opiniões.
    Parabéns Matheus pela matéria, é um assunto muito rico e bastante complexo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php