Períodos chuvosos aumentam a proliferação de viroses

por Viviane Ferreira

Ao contrário de países que possuem invernos rigorosos com temperaturas muito baixas, no Brasil, especificamente no nordeste, há o período de quadras invernosas, onde é comum que ocorra um crescimento da proliferação de viroses. Isso decorre pelo aumento das aglomerações e da dificuldade de higienização, tornando mais fácil a transmissão. Essas infecções causadas por determinados vírus podem ser respiratórias,  intestinais e vetoriais que podem ser transmitidas por insetos como o Aedes Aegypti.

O professor e epidemiologista Antônio Silva Lima Neto. Foto: Reprodução

De acordo com o professor e epidemiologista da Universidade de Fortaleza, Antônio Silva Lima Neto, os cuidados para a prevenção desses vírus é específica. “A principal que tem sido apontada é a lavagem de mãos. Também é importante evitar levar a criança doente para a escola, ter higienização de qualquer alimento e, além das medidas do governo, você observar se está acumulando água, [para] evitar focos de mosquitos”, explica. 

As prevenções  contra as viroses devem ser redobradas quando existe um grupo de maior risco, como crianças e idosos, pois as infecções podem se apresentar de forma mais severa. “Se você tem uma hipertensão, diabete avançada, uma virose pode descompensar essas doenças pré-existentes. Além disso, tem a questão da imunossenescência, envelhecimento do sistema  imunológico. Da mesma forma, as crianças quando são muito pequenas estão em processo de construção da sua própria imunidade, algumas dessas viroses podem se exacerbar” , diz o professor.

Apesar da grande repercussão do Coronavírus, o professor alerta uma maior preocupação com as viroses locais, como a dengue. “No nosso caso, em Fortaleza, temos hoje uma ameaça importante de dengue 2, que foi a maior epidemia que aconteceu no Brasil ano passado no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Há possibilidade que haja esse deslocamento espacial da epidemia para o Nordeste esse ano, é uma ameaça real. Ano passado foram 900 mortos por dengue no Brasil, só no Distrito Federal foram mais de 61 mortos. Assim como o corona, temos que tomar todas as medidas de precauções, os planos de contingência, deixar ações e estratégias”, disse.

Infografia por Diuly Moreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php