Voluntariado: empatia ou interesse pessoal

Por João Estelito, Laura Teles e Mariani Sobrinho

Foto: Reprodução

Os programas voluntários nas universidades são muito comuns. Os estudantes iniciantes procuram projetos para a formação de experiências além dos estudos, como integração e networking. Entretanto, muitos alunos recorrem a esses recursos pela certificação e não pelo propósito do voluntariado, que é atender medidas de interesse social ou comunitário.

O projeto Jovem Voluntário busca a construção e a contribuição com a empatia de alunos e funcionários da Universidade de Fortaleza (Unifor), sendo uma ação de apoio social que atende instituições e unidades de saúde da capital cearense, como o Hospital Albert Sabin, o Núcleo de Atenção Médica Integrada (NAMI), o Lar Torres de Melo, a Associação Peter Pan e a Casa de Apoio Sol Nascente. 

De acordo com Evanusa Oliveira, monitora do Projeto Jovem Voluntário da Universidade de Fortaleza, nem sempre os voluntários se unem ao projeto pelo real propósito. “Alguns estão mais por obrigação, pelo certificado, e só ficam contando as faltas para executá-las”,  lamenta a monitora.

Usualmente são formados grupos de quatro ou cinco pessoas divididas para diversos turnos nessas instituições, com um monitor e cerca de três ou quatro voluntários. No trabalho, o monitor atua como orientador dos estudantes.

“Alegria é a palavra-chave”, explica a coordenadora do projeto, Renata Carneiro,  sobre a busca em trazer felicidade e descontração para pessoas que passam por dificuldades. Renata conta que até mesmo voluntários com dificuldades para se envolver, despertam sensibilidade e alguns até mudam de percepção.

O voluntário possui métodos práticos de ações, como brincadeiras, pinturas e rodas de conversas para crianças, adolescentes e idosos. A intenção é trazer o conforto, mesmo que temporário, para pacientes que aguardam por atendimento. 

Para Valdemiro Neto, ex-monitor da associação, estudantes que não possuem comprometimento se preocupam apenas com o preenchimento do currículo e com as horas extras ganhas de atividades. “Nas provas de seleção, algumas pessoas eram muito francas, colocavam que estavam prestando o processo pelo certificado para pôr no currículo”, revela. Confira abaixo um vídeo onde Valdemiro conta sobre a sua experiência como voluntário.

A importância do voluntariado

O voluntário é um indivíduo que possui interesse em ajudar e contribuir com o bem estar de outras pessoas, visando questões sociais e não financeiras. 

Exercer o voluntariado reflete diversas atitudes, como amor, justiça, compaixão, solidariedade e respeito. Por isso, o desejo para ajudar o outro deve ser o mais simples e verdadeiro possível. “A experiência com o voluntariado é de extrema importância, pois o indivíduo percebe o quanto precisa desenvolver diferentes percepções de seu mundo”, ensina Rayanne Almeida, monitora do Projeto Jovem Voluntário.

O projeto Voluntário também é responsável por motivar pessoas. “A experiência do Jovem é incrível. Você precisa realmente viver para sentir, tanto com os idosos quanto com as crianças. O projeto vai lá para suprir a necessidade deles, muitos possuem início de depressão e com o projeto eles ficam mais felizes e motivados a viver”, ressaltou a monitora.

Instituições de caridade assistidas pelo Jovem Voluntário

  • Hospital Infantil Albert Sabin
Logo do Hospital Infantil Albert Sabin. Foto: Reprodução

O Hospital Infantil Albert Sabin (Hias) é um órgão da administração pública estadual, pertencente à Secretaria da Saúde do Estado do Ceará. O objetivo da instituição é prestar assistência à crianças e adolescentes de forma segura e harmônica, sendo um espaço de ensino e pesquisa. O hospital foi fundado em 26 de dezembro de 1952 e está localizado na Rua Tertuliano Sales, 544, no bairro Vila União, em Fortaleza.

  • NAMI
Fachada do NAMI. Foto: Divulgação

O Núcleo de Atenção Médica Integrada, criado em 1978, possui como objetivo proporcionar uma melhor qualidade de vida para a população cearense. A instituição reúne tanto profissionais quanto estudantes focados em desenvolver pesquisas e atender as necessidades da sociedade. No NAMI são realizados atendimentos ambulatoriais multidisciplinares, que integram atividade de auxílio à população, como ensino, pesquisa e responsabilidade social. O hospital está localizado na Rua Desembargador Floriano Benevides, 221 (ao lado do Fórum Clóvis Beviláqua).

  • Associação Peter Pan
Logo da Associação Peter Pan. Foto: Reprodução

A Associação Peter Pan, existente desde 1996, é uma entidade sem fins lucrativos que envolve ações com um atendimento humanizado além do tratamento médico especializado. A Associação possui como missão elevar o índice de cura e melhorar a qualidade de vida de crianças e adolescentes portadores de câncer e de suas famílias, bem como construir um trabalho solidário, ético e transparente. As doações para a instituição podem ocorrer por doações online, por meio da conta de energia, telemarketing [(85) 3402-7918 ou 3402-7924], depósitos em conta e para outras formas de doações, através do telefone (85) 4008-4109.

  • Casa de Apoio Sol Nascente
Logo da Casa de Apoio Sol Nascente. Foto: Rpeodução

A Casa de Apoio Sol Nascente é uma instituição que possui como objetivo acolher, com amor e dedicação, adultos e crianças que possuem HIV/AIDS. Com os valores de humanização, credibilidade, respeito à diversidade, comprometimento e honestidade, a primeira Casa Sol Nascente foi fundada em 1995, em Guaratinguetá, em São Paulo. A inauguração da instituição no estado do Ceará ocorreu em 2001. Atualmente, a Casa Sol Nascente possui duas unidades de acolhimentos, tendo capacidade para 34 pessoas, 16 crianças e 18 adultos. A instituição está localizada na Avenida Alberto Craveiro 2222, no bairro Castelão. As doações podem ocorrer através de depósitos nas contas bancárias ou pessoalmente, com alimentos perecíveis e não-perecíveis, leite, roupas, brinquedos, produtos de limpeza, higiene pessoal e fraldas em geral, para crianças e adultos.

  • Lar Torres de Melo
Logo do Lar Torres de Melo. Foto: Reprodução

O Lar Torres de Melo, atuante há 114 anos, possui como finalidade prestar assistência integral às pessoas idosas vulneráveis ou em situação de risco social, assegurando-as de seus direitos e condições de vida digna. Promovendo acesso a programações culturais, de lazer, de esporte e ocupacionais, a instituição desenvolve condições para que os indivíduos possuam mais independência a autocuidado. As doações podem ocorrer online e também pessoalmente no próprio Lar Torres de Melo, que está localizado na Rua Júlio Pinto 1832, Jacarecanga, em Fortaleza.

Infografia: João Estelito, Laura Teles e Mariani Sobrinho

Esta matéria foi produzida para a disciplina de Jornalismo Digital, para conferir a versão original clique na imagem abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php