Estralar articulações pode gerar lesões

Por Layo Lucena

O hábito, ou mania de estalar os dedos, pescoço, ombros, pé, tornozelos, até mesmo as costas, articulações e juntas em geral pode causar malefícios a curto e a longo prazo, segundo um estudo publicado no site de notícias G1, em agosto passado. De fraqueza nos dedos à possibilidade de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), dependo da região do corpo.

Foto ilustrativa da articulação em uma mão. Foto: Reprodução/MD Saúde

Em uma definição mais específica, ao estalejar as juntas, provocamos o movimento rápido de um líquido chamado sinovial que se encontra nas articulações, e o resultado dessa ação é o som que conhecemos como estalo. O líquido sinovial é um fluido transparente e viscoso das cavidades articulares e bainhas dos tendões, tem a função básica de revestimento.

Diego Felipe Silva, 23, estudante de administração na Universidade Federal do Ceará (UFC), admite ter essa mania desde a infância. “Sempre tive o hábito de estralar os dedos e, todas as vezes, a minha mãe me chamava a atenção, mas, por enquanto, nunca tive problemas”.   

De acordo com o fisioterapeuta, osteopata e quiroprático Dr. Albino Gomes, a mania voluntária e rotineira, prejudica as articulações e juntas. O ato pode resultar em um complexo de subluxação. “A subluxação, na quiropraxia, é designado como uma redução da mobilidade ou, até mesmo, um desarranjo articular que interfere na transmissão de impulsos nervosos”, explica o quiroprático.

“O ato de estalar é capaz de levar a uma ‘frouxidão’ das articulações”, afirma o Dr. Ismael Pontes, ortopedista. Ainda segundo ele, por um período prolongado e de forma intencional, o costume se torna prejudicial, pois há a possibilidade de acarretar uma lesão degenerativa.

Locais perigosos 

Pescoço: Muitos especialistas relatam o risco de estralar a região cervical. Uma das grandes preocupações é a possibilidade real de ocasionar um AVC, além de ser arriscado gerar uma fratura no local. 

Costas: Ao estalar a coluna, há uma chance de, com o movimento, forçar as vértebras erradas, o que pode ser extremamente perigoso. O ato pode piorar um quadro já existente de alinhamento postural.

Dedos: Um movimento brusco, repetitivo, inconsciente e desequilibrado nas juntas dos dedos pode promover além de um desgaste nas articulações, também fissuras nos ossos. 

O ato de estralar em Raio-X. Foto: Reprodução/ Plos Journal

Contradição

O doutor Donald L. Unger, do estado da Califórnia, Estados Unidos, foi responsável por um estudo que buscava comprovar a ligação entre o hábito de estalejar os dedos com problemas na articulações, como, por exemplo, artrite. Como parte da pesquisa, passou 50 anos estralando apenas os dedos de sua mão esquerda, ao menos duas vezes por dia. De acordo com Unger, no total, suas articulações da mão esquerda foram estaladas em 36.500 ocasiões. 

Como resultado, Unger não constatou nenhum sinal de artrite ou dano em suas articulações. O experimento de Unger foi vencedor do prêmio IG Nobel de 2009.  Mesmo com a pesquisa, o assunto ainda ganha atenção no mundo científico. 

Como evitar

Segundo os doutores Albino e Ismael, esse hábito pode ser evitado com alongamentos e exercícios diários, além de uma ajuda especializada. “O ato de estalar os dedos, muitas vezes, está associado a uma mania relacionada a ansiedade, logo o tratamento junto a um psicólogo/psiquiatra pode eliminar o costume”, esclarece o Dr. Ismael. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php