Neve, waffles e cinco casos de amor

por Sarah Viana

 

Faltando quase um mês para a época mais celebrada do ano, a rede de streaming Netflix lançou o filme “Deixe a neve cair”. Apesar dos clichês de filmes de comédia romântica, a adaptação do romance de Maureen Johnson (parceira de Cassandra Clare no spin-off de “Cidade dos Ossos”, “As crônicas de Bane”), John Green (“A culpa é das estrelas”) e Lauren Myracle trouxe a sutileza dos eventos que podem acontecer durante a véspera de Natal.

O longa foi dirigido por Luke Snellin e possui um elenco “de peso”, como Kiernan Shipka, atriz que conquistou o público infanto-juvenil na série “O Mundo Sombrio de Sabrina” (2018). O filme gira em torno de cinco histórias: Julie (Isabela Merced), uma garota que vive o dilema se vai embora para fazer faculdade ou se fica na cidade para cuidar de sua mãe com uma doença terminal. Junto dela, conhecemos Stuart (Shameik Moore), um jovem cantor cansado da turnê musical e que encontra a calma em plena véspera de Natal, ao esbarrar em Julie no trem. 

Nos deparamos também com dois amigos antigos, Tobin (Michell Hope) e Angie (Kiernan Shipka), que vivem um dia cheio de turbulências. Também conhecemos Dorrie e Addie, duas grandes amigas que tentam resolver suas pendências amorosas como um namorado indiferente e um caso antigo, ao mesmo tempo em que ficam longe uma da outra por conta de uma briga. Todas essas histórias acabam se encontrando em uma lanchonete de waffles, lugar da festa de véspera de Natal do grupo de adolescentes presentes no filme.

Cena que mostra a representatividade LGBT do filme. Foto: Reprodução

Conseguindo equilibrar a sutileza de histórias de amor junto com a aventura de um grupo de amigos adolescentes que tentam resolver seus problemas antes do Natal, “Deixe a neve cair” consegue se superar em alguns pontos que não são muito comuns em comédias românticas. A trilha sonora torna as cinco histórias mais leves, apesar de alguns dramas como doenças terminais e a homofobia. Outro ponto a ser destacado é a representatividade LGBT, algo presente no longa-metragem de Snellin, transformando o cliché do amigo gay que apoia a antagonista em uma garota sensível, carismática e uma grande melhor amiga com a personagem Dorrie. 

Apesar de ser fraco em piadas, os atores conseguiram conquistar o público com sua atuação carismática e ótimo trabalho com a “química” dos personagens. Não apenas namoros, o filme traz também o amor de uma família nada tradicional e de amizades que mesmo conturbadas, acabam resolvendo seus problemas. Luke Snellin produziu uma filme natalino que foge de ser comum para a época do ano. 

Confira o trailer do filme abaixo:

 

Ficha técnica

Filme: Deixe a neve cair

Ano: 2019

Duração: 1h 30min

Direção: Luke Snellin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php