“Eu tento fotografar a paisagem que eu não tenho”

por Sarah Viana

 

Vivendo sob um céu de concreto, nossa sociedade tem passado por mudanças na forma como as pessoas se relacionam entre si e em como olham o próximo. Pensando nessa reflexão sobre os relacionamentos contemporâneos e a arquitetura afetando as pessoas, a fotógrafa e artista visual, Letícia Lampert, compartilhou seu processo criativo com os alunos da Universidade de Fortaleza, na tarde desta quarta-feira (16), na palestra “A cidade como ateliê”. 

Lampert discutiu sobre as fases do seu projeto com a fotografia de apartamentos e fachadas de prédios. A ideia surgiu a partir da curiosidade de mostrar o que os apartamentos tiraram da sua vista: a paisagem. Na palestra, a fotógrafa explica como seu trabalho foi crescendo por conta das suas descobertas dentro dos apartamentos que visitava e sobre a vivência que acabava tendo com os moradores. 

“A cidade como ateliê” é uma reflexão sobre como o concreto se tornou um ateliê para uma fotógrafa que transformou lugares em personagens importantes na construção da imaginação de quem vê além da imagem. De acordo com ela, compartilhar o seu trabalho com os estudantes é importante para que “eles possam refletir sobre as questões do mundo” e em como o trabalho pode alimentar essa reflexão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php