Fortaleza será a cidade dos livros durante nove dias de Bienal

Por Isabella Campos

“As cidades e os livros” é o tema escolhido para a XVIII Bienal Internacional do Livro do Ceará, evento gratuito que acontece entre 16 e 25 de agosto de 2019, no Centro de Eventos do Ceará. Este ano a Bienal está sob a curadoria da escritora Ana Miranda e dos professores e escritores Inês Cardoso e Carlos Vasconcelos,com a coordenação e co-curadoria de Goreth Albuquerque. 

Foram 55 mil visitantes por dia, nas duas últimas edições do evento, e a coordenação pretende repetir o sucesso com o tema deste ano. “A gente pode pensar a cidade como um espaço que permite criar todo um arquivo pessoal de narrativas. É onde construímos uma série de narrativas a partir dos trajetos que percorremos no  nosso cotidiano”, explica a co-curadora e coordenadora da Bienal do Livro Goreth Albuquerque sobre o tema escolhido para esta edição. 

A ligação da cidades e os livros também é retratada no amplo conceito de geografia pessoal, subtema da Bienal. Cada pessoa tem suas cidades, aldeias, lugares de afeto onde cultivam memórias e essa geografia pessoal se expressa fortemente na literatura. “A cidade é uma escrita e também uma leitura. Podemos dizer, então, que é um livro”, pontuou o secretário de Cultura do Estado do Ceará, Fabiano Piúba. 

Bienal Fora da Bienal

Já na sua terceira edição, o projeto conhecido como “Bienal Fora da Bienal”, tem o intuito de levar ações da Bienal para além de seu espaço tradicional, ganhando continuidade. “A gente [equipe da coordenadoria] pensou da Bienal indo para fora, saindo também dos seu equipamentos tradicionais e pensando em novos formatos,  novos lugares, novas pessoas. Dando uma ventilação para esse evento”, explica Plínio Lira, um dos coordenadores do evento. 

As atividades são levadas para outras partes da cidade e até mesmo outros municípios, segundo critérios de programas de democratização do acesso ao livro e à leitura em desenvolvimento no Estado e de forma articulada com o tema do evento. “O que é que a gente tira do conhecimento que a gente tem da cidade? O que é que a gente tira da poesia que vem da cidade? Do cotidiano da cidade e coloca em discussão? Eu acho que é uma mistura de juntar conhecimentos científicos, demandas pragmáticas com a intuição poética. Então, é disso que sai esse formato”, explica o coordenador sobre o modelo do projeto. 

Espaços

Um dos destaques desta edição da Bienal do Livro são os espaços temáticos presentes no Centro de Eventos do Ceará, durante os dias de programação. Confira os detalhes de cada espaço no infográfico a seguir:

Infográfico: Isabella Campos

Homenagens na Bienal

É muito comum vermos escritores sendo homenageados em eventos literários, mas nesta edição da Bienal do Livro acontecerá diferente, os grandes homenageados serão os livros. As obras homenageadas são o internacional “Terra Sonâmbula”, de Mia Couto, o nacional “Lavoura Arcaica”, de Raduan Nassar e “A Casa”, da cearense Natércia Campos.

Outro homenageado é Sérvulo Esmeraldo, artista plástico cearense com destaque na escultura, gravura, ilustração e pintura. Sua obra Femme-Bateau chamou atenção da editora carioca Anna Dantes, servindo de inspiração para o selo de identidade visual da  XVIII Bienal Internacional do Livro do Ceará e para diversos outros materiais promocionais do evento. Este ano, 2019, o artista completaria 90 anos, tornando a homenagem ainda mais significativa.     


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php