Jovem Voluntário contribui para a formação de alunos

Por Laís Maia

O Projeto Jovem Voluntário, da Universidade de Fortaleza (Unifor), foi criado em 2002 e promove a qualidade de vida de crianças, adolescentes e idosos que se encontram internados em diversas instituições de Fortaleza, como o Hospital Infantil Albert Sabin, o Núcleo de Atenção Médico Integrada (NAMI), Associação Peter Pan, Casa de Apoio Sol Nascente e  o Lar Torres de Melo.

A iniciativa faz parte da Divisão de Responsabilidade Social, vinculado à Vice-Reitoria de Extensão e Comunidade Universitária. O Jovem Voluntário visa sensibilizar os alunos da universidade e contribuir para a formação de jovens. O projeto também incentiva-os na cultura do voluntariado, na intenção de auxiliar pacientes e seus cuidadores.

O Jovem Voluntário visa sensibilizar os alunos da universidade e contribuir para a formação de jovens. Foto: Arquivo Pessoal

Os voluntários cumprem uma carga horária de quatro horas semanais e permanecem no projeto durante seis meses. Além das atividades interativas com os pacientes e responsáveis do hospital, os voluntários também promovem festividades nas datas comemorativas.

Se cumprido os requisitos estabelecidos, o aluno recebe um certificado de participação válido em todo o Brasil, de acordo com a Lei do Voluntariado, como prestador de serviços voluntários dedicados à sociedade. Atualmente, o projeto conta com 41 monitores e 204 voluntários.  

Vantagens do voluntariado

Renata Ferreira, 37, coordenadora do Projeto, afirma que o voluntariado traz benefícios como  o amadurecimento e a capacidade de enxergar o mundo com outros olhos, o que permite que o voluntário se torne mais flexível à resolução de problemas, uma vez que ele lidará com imprevistos. No âmbito profissional, Renata acredita que o voluntário enriquecerá o currículo com competências fundamentais para o mercado de trabalho como responsabilidade, altruísmo, empatia e solidariedade.  

Além disso, no âmbito acadêmico, as horas dedicadas podem contribuir para a carga horária de atividades complementares obrigatórias do curso. “Um trabalho voluntário requer generosidade, iniciativa, habilidade de comunicação e trabalho em equipe. O mercado de trabalho, na hora de contratar alguém, sempre busca um diferencial e, com certeza, ter sido voluntário lhe fará ser visto de forma singular”, explica.

Os voluntários

Letícia Lavor, 19, estudante de Jornalismo auxilia crianças no seu projeto de voluntariado no hospital Albert Sabin, desde o início desse semestre. Ela destaca que na vida pessoal, o projeto lhe ajudou a encarar as dificuldades de outra forma. “Elas [crianças do hospital] me ajudam muito mais do que eu posso ajudá-las de alguma forma. Me ensinam, mesmo na prática, a aproveitar o que você está vivendo”, explica.

A estudante de Psicologia Júlia Guerra, 19, está exercendo o voluntariado há um ano. O desejo de ser voluntário fez com que Júlia se interessasse pelo projeto no mesmo ano em que ingressou na universidade. Ela afirma que a experiência contribuiu para seu amadurecimento pessoal.

“Sempre tive vontade de participar de algo que eu pudesse ajudar o próximo e que sentisse algo enriquecedor ao longo daquele dia”. É assim que o estudante de enfermagem Rubecy Neto, 20, fala sobre a sua participação no projeto. Apesar da timidez, o universitário diz que a vontade de ajudar alguém falou mais alto.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php