5+ melhores histórias em quadrinhos do Superman

por Alexandre Bessa

Desde de seu uniforme azul até sua capa vermelha fluindo e o “S” em seu peito, Superman – alter ego de Clark Kent – é um dos personagens de quadrinhos mais imediatamente reconhecíveis de todos os tempos. Jornalista nas horas vagas, o Homem de Aço ou Último Filho de Krypton, como também é conhecido, é o símbolo supremo da verdade, justiça e esperança. Criado por Jerry Siegel e Joe Shuster, o personagem apareceu pela primeira vez na HQ Action Comics#1, em junho de 1938, tornando-se assim o primeiro super herói de todos os tempos.

Separamos 5+ melhores histórias em quadrinhos do Superman, comemorando os oitenta e um anos de existência do herói.

 

GRANDES ASTROS SUPERMAN

Grandes Astros Superman do escritor Grant Morrison e o desenhista Frank Quitely.

Nesta minissérie de 12 edições, lançada entre 2006 e 2008, o escritor Grant Morrison e o desenhista Frank Quitely concebem uma história que contaria a última aventura do herói, pois este adquiriu uma doença incurável. Dessa forma, ele precisa então  revisitar os seus relacionamentos e concluir sua missão na Terra.

O impacto de Superman na cultura e imaginário popular também são abordados na HQ, com uma reconstituição histórica do pensamento humano quanto aos deuses. Morrison chega a brincar filosoficamente, constituindo um mundo no qual o Superman não existe, e no fim, o resultado deste mundo é o de que o herói precisava ser criado. A HQ venceu três prêmios Eisner, dois Harvey e dois Eagle – premiações de relevância para histórias em quadrinhos – além de ganhar um longa-metragem animado.

 

SUPERMAN: O QUE ACONTECEU AO HOMEM DE AÇO?

O Que Aconteceu ao Homem de Aço, do escritor Alan Moore e desenhista Curt Swan.

Um dos vários clássicos escritos por Alan Moore, a HQ conta com desenhos de Curt Swan e é mais uma “última história” do herói, que homenageia toda a mitologia por trás do Homem de Aço que havia sido escrita até então, com contos que resumiam tudo o que ele significava para o mundo. A publicação mostra Lois Lane falando para um outro jornalista do Planeta Diário o que aconteceu nos últimos dez anos com o herói, detalhando os diversos ataques de vilões, a revelação de sua identidade secreta e a morte tanto de alguns entes queridos quanto de rivais.

 

O HOMEM DE AÇO, de John Byrne

O Homem de Aço, de John Byrne.

Logo após o mega evento “Crise nas Infinitas Terras” – uma série de histórias em quadrinhos publicada pela DC Comics em doze edições em 1986 – a editora encomendou a John Byrne uma reformulação de seu personagem principal. Byrne reformulou o universo do Homem de Aço, inspirando-se bastante no filme “Superman” dirigido por Richard Donner, de 1978. A origem do herói criada pelo autor é talvez, a mais aceita pelos fãs e a que mais durou do ponto de vista editorial, já que perdurou por quase duas décadas.

Byrne nos apresenta um Clark Kent tão relevante quanto o homem que carrega o S no peito. Em Homem de Aço, minissérie em 06 partes lançada em 1986, a narrativa se divide em fases da vida do personagem e o leitor pode acompanhar novas interpretações de diversos acontecimentos por um ponto de vista atualizado, para a época, agora levando em consideração fatos científicos.

A MORTE DO SUPERMAN

A Morte do Superman, do o HQ influenciou Zack Snyder no filme Liga da Justiça.

A morte do Superman no início da década de 1990 foi um marco na história dos quadrinhos. O marketing criado em cima do evento da perda do herói mais icônico da editora DC Comics foi algo sem precedentes, na época. O personagem estava em baixa nos anos 1980 e, por isso, a DC decidiu criar um arco onde o Apocalypse o matava – em uma das batalhas mais marcantes de sua história. O mais interessante é que, ao contrário de outras mortes nos quadrinhos, o personagem ficou seis meses afastado das HQs e muitos fãs temiam que a morte fosse definitiva. A HQ virou um desenho animado e influenciou Zack Snyder no filme Liga da Justiça.

PAZ NA TERRA

Paz na Terra, Graphic Novel escrita por Paul Dini, contando com a arte de Alex Ross.

Na Graphic Novel (tradução do inglês para “Romance Gráfico”) escrita por Paul Dini, contando com a arte de Alex Ross, é mostrado uma trama diferente das habituais. Ao invés de lutas megalomaníacas ou o herói usando seus poderes exacerbadamente, dessa vez nos é mostrado um Superman que quer utilizar das suas habilidades para acabar com a fome no mundo. Porém, o Homem de Aço acaba encontrando dificuldades em seu caminho, como política, acordos diplomáticos, governos totalitários e etc.

Superman tenta, então, de forma reflexiva, entender a humanidade e suas motivações. Lançada em 1998, a história possui algumas das imagens mais bonitas e icônicas do herói, e a arte de Alex Ross transforma a Graphic Novel em uma obra de arte, com cada quadro de imagem podendo ser emoldurando e contando uma história por si só.

BÔNUS: REINO DO AMANHÃ

Reino do Amanhã, dos criadores Mark Waid e Alex Ross.

Em uma das narrativas mais relevantes das histórias em quadrinhos, Mark Waid e Alex Ross criaram essa história em um futuro alternativo, onde o Superman abandonou a vida como herói, pois o mundo escolheu heróis mais novos e inconsequentes para defender a humanidade. Além disso, o Clark Kent envelhece muito mais devagar do que um humano normal, e teve que assistir a todos seus entes queridos morrerem, inclusive Lois Lane, seu par romântico. Recluso, o herói passa então seus dias na fazenda Kent, porém, um acontecimento terrível faz com que este tenha que voltar à ativa.

Além dos desenhos espetaculares, a publicação conta com uma história envolvente e o Homem de Aço é o foco principal da publicação. Aqui somos apresentados não apenas a um lado diferente do herói, mas também de todo o universo e personagens da DC Comics, que está mais sombrio e diferente do que havia sido mostrado até então.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php