Pergunte ao especialista : Cuidados com os cabelos

Por Thomás Regueira

Uma pesquisa feita em 2018 pela marca de cosméticos Head&Shoulders, com mulheres de todo o Brasil, apontou que 85% das entrevistadas consideram o cabelo como um fator determinante na manutenção da auto-estima. 68% delas acham importante cuidar da saúde e beleza dos cabelos.

Diante desse cenário, em especial para as que possuem algum tipo de química como tinturas, descolorações ou alisamentos, o Jornalismo NIC selecionou algumas dúvidas dos leitores sobre o tema, através do Instagram, e respondeu com a ajuda de Cíntya Dantas Dias, cabeleireira com experiências de 13 anos.

Ela é especialista em mechas, loiras e colorações. Por trabalhar com químicas capilares, que danificam o cabelo, Cíntya procura sempre se manter atualizada para orientar suas clientes em relação aos cuidados que precisam manter.

Pergunta do João Pedro Bessa (@bessaq): “Como saber se o cabelo precisa de nutrição, hidratação ou reconstrução?”

Cíntia Dias: Você tem que avaliar que tipo de química ele tem. Se não tem muita química ou só alguns danos de secador ou chapinha, assim como de praia e sol, ele precisa só de nutrição. Se ele já tem danos físicos das praias, químicas e de tudo é nutrição. Mas se tiver bem poroso, estragado e que não se ajeita com nada, precisa de reconstrução.

A hidratação todos nós precisamos, pois nosso clima é bem de praia, com muito sol, vento e mar. Só de ir a uma piscina você já tirou o seu cabelo do pH (medida para grau de acidez  ou alcalinidade) normal dele, já precisa nutrir ou hidratar dependendo do dano que ele tiver. Mas simplesmente pelo fator climático, mesmo que o cabelo não tenha nenhuma química, tem que hidratar.

Pergunta do Arthur Rebouças (@arthorius_): “Faço tudo no cabelo (lavo, hidrato, nutro), mas ele continua seco. O que posso fazer?”

CD: Tem que ver se o cabelo dele natural é seco, porque, às vezes, o cabelo tende a ser seco, ou se vem dos danos de tintura. No caso do cabelo dele, que é ruivo, tem que hidratar bastante, procurar uma linha de produtos específicos para cabelos tingidos, para segurar a cor, e ver se ele precisa de nutrição, reconstrução ou hidratação.

Às vezes, você compra vários produtos e bota de tudo no seu cabelo, mas se não fizer um tratamento específico, vai tratar só superficialmente, sem atingir o córtex do cabelo, que as reconstruções atingem. A tua nutrição e hidratação vão só manter aquela reconstrução, se ele não tá fazendo nenhuma coisa mais profunda, o produto está agindo só superficialmente no fio e vai continuar seco. A indicação é fazer uma reconstrução profunda, a cada 15 dias. Ele vai só nutrir e manter com os produtos de casa.

Pergunta da Rayana do Carmo (@rayy.carmo): “Para quê e como funciona a terapia capilar?”

CD: A terapia capilar funciona quando você tá com o couro cabeludo irritado e isso está passando pro fio, seja por caspa, produtos químicos ou sol. A terapia capilar consiste em uma gama de produtos. Primeiro, você utiliza um [produto] para esfoliar o couro cabeludo, para limpar, tirar caspa, seborréia, escamação, ou seja, o que for. O segundo passo é um produto voltado para a raiz. Depois um terceiro, que é para o meio do cabelo, e, por último, um para a ponta. A terapia consiste nisso, em 5 ou 6 passos, agindo desde o couro cabeludo até a ponta do fio.

Pergunta da Nicole Sales (@_salesnicole): “Como cuidar de cabelo ondulado quando o clima está úmido?”

CD: É mais difícil, mas hoje em dia tem muito produto bom no mercado. Você pode usar um óleo, e esses bons de linhas mais específicas seguram a umidade. Criam aquele fio protetor no fio e faz com que ele não pegue aquela umidade relativa do ar. Moramos em cima das praias, tendemos a receber essa maresia todinha.

Quem não se dá com óleo, seja por ter um cabelo mais fino ou ondulado, e o óleo tende a pesar, tem os cremes leave-in. É importante ter alguma coisa para controlar a umidade, porque o cabelo sozinho não controla. Utilizar produtos a base de óleo ou os leave-in, que são a base de silicone, eles vão criar aquele filme protegendo o fio da umidade.

Pergunta da Letícia Medeiros (@leticiamedeiros1): “Como manter a cor do cabelo com o sol?”

CD: As tinturas que vem pro mercado brasileiro, não têm uma fixação boa e nem o nosso clima, e a água que tomamos banho permite essa fixação. A Letícia tem que usar sempre shampoo protetor de cor e não um shampoo comum, para ir protegendo. E, a cada vez que ela colocar a tintura, colocar uma com amônia para colorir a raiz e no restante do cabelo uma tintura tonalizante, porque ela vai só depositar pigmento (não vai danificar o cabelo como a amônia). Ela deve intercalar entre essas duas tinturas para manter a cor com o cabelo saudável.

Pergunta do Fayher Lima (@fayherlima): “De quanto em quanto tempo o cabelo muda de fibra?”

CD: Ele muda não pela máquina ou pela tesoura, mas pelo hormônio. Quando você é criança, com 9-10 anos, e depois cresce, fica com mais hormônios de adulto, lá por volta de 14-15 anos, o cabelo dá uma encorpada. Lá pelos 30-40 anos, ele dá outra encorpada. Depois dos 50, ele começa a dar uma afinada. É raro achar uma pessoa de mais idade com a mesma densidade de fio que ela tinha quando era mais nova. Mas, quando você coloca químicas no cabelo, muda completamente a estrutura do fio.

O fio é muito hormonal, às vezes tem uma época na sua vida que você tá se alimentando menos, mudou sua alimentação ou então mais estressado. O estresse causa queda no cabelo e faz ele perder vida, porque age conforme os seus hormônios. Você tem que usar produtos específicos para cada momento que você tiver da sua vida.

Perguntas da Lara Montezuma (@laramontezuma): “O que é um cabelo hidrofóbico? Quais cuidados diários a gente precisa ter com o cabelo? Quais produtos evitar?”

CD: Um cabelo hidrofóbico é aquele que requer um pouquinho mais de água, perde água fácil, como se fosse planta. Para cuidar dele, você precisa utilizar mais produtos a base de água, mais umectantes, sem parabenos (produtos químicos utilizados em cosméticos), pois estes criam uma camada em volta do fio e não tratam o cabelo. Os cabelos cacheados e ondulados são os hidrofóbicos, que não seguram muita água. Precisa-se usar leave-ins mais aquosos, sem ser aqueles cremes mais densos.

Não existe “Acordei, tô linda!”, “Acordei, tô pronta vou sair!”, até mesmo pelo nosso clima e toda a maresia da praia que recebemos. Acordou: lava, hidrata, condiciona, passa um óleo reparador de pontas ou um creme leave-in, dá uma secadinha por cima ou utiliza finalizadores, caso não goste de secadores. Não pode só lavar com o shampoo mais comum que tiver em casa, passa condicionador e sai. Por estarmos numa cidade litorânea precisamos tomar mais cuidado. Tira um dia na semana pra hidratar mesmo, colocar aquelas ampolas, o que for preciso. É raro, aqui no Ceará, termos um cabelo com o pH natural (entre 4 e 6), os cabelos aqui geralmente têm pH de 7 até 9 mesmo sem química, são cabelos muito alcalinos. Se você, por ter o cabelo natural, acha que não precisa fazer nada, tem que cuidar.

Eu, como sou fã e adepta das colorações e das descolorações, não sou fã das progressivas, o mercado vai até me criticar por isso. As progressivas criam um filme no fio do cabelo, uma cela, o que faz com que toda a hidratação não chegue até o fio, nada vai chegar, encapa o fio por fora e por dentro fica sem nutrientes. Você modifica a fibra capilar, altera sua variação hormonal por mexer na estrutura do fio. Quanto mais cedo você faz isso, mais dependente de alisamentos você fica e se apega por ser difícil fazer a transição capilar. O primeiro cuidado que a gente indica é fugir das progressivas, assuma seu cabelo natural, aprenda a lidar e procure cosméticos específicos para ele porque é só o que tem, procure indicação profissional.

Pergunta da Rafaela Alves (@rafa_alvesv): “É ruim ficar tirando as pontas duplas?”

CD: É ruim. Até a tesoura que nós profissionais usamos tem que ser uma adequada e que esteja amolada para ter um corte preciso. Quando você usa a mão para tirar, não tira de uma vez. Você tá abrindo a ponta, acha que resolve o problema ali na hora, mas cria mais uma ponta. Tem muita coisa no mercado para isso, aquela máquina do corte aéreo é perfeita, o corte bordado. Ela é como se fosse uma chapinha e faz a limpeza das pontas duplas no fio.

A ponta dupla vem muito da tração, de você desembaraçar o cabelo todo enlinhado com toda a força, de qualquer jeito. Naquele atrito do cabelo com o pente ou a escova, seja o que for, você cria ponta dupla. É muito importante que você use um bom leave-in, finalizador ou óleo para te ajudar nesse processo de desembaraçar a ponta dupla

Jornalismo NIC: Uma dica para os leitores.

Assuma o cabelo que tem e procure produtos específicos para o seu cabelo. Acabou aquela história de que só tem produto bom em salão, existem produtos acessíveis para todos os gostos. Só você fazer o diagnóstico correto do seu cabelo com um profissional, para não sair comprando coisas que não vão funcionar com o seu fio. Quando você faz isso, consegue cuidar do cabelo em casa. Mas, quando ele está naquele estado bem crítico, bem sensibilizado e danificado, aí entram as reconstruções, feitas em salões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php