O esporte que transforma vidas

Por Sarah Viana

A corrida, quando usada como ferramenta de transformação social, pode trazer oportunidades para atletas advindos de comunidades carentes. O corredor e estudante de Educação Física no Centro Universitário Estácio do Ceará – Estácio FIC, Daniel Carneiro dos Santos, 34, conseguiu crescer a partir do atletismo quando tinha apenas 10 anos, por meio do Projeto Atleta do Ano 2000, viabilizado pelo Governo do Estado do Ceará.

A identificação de Daniel com o atletismo veio depois de sua participação em treinos que eram disponibilizados pelo projeto social que ele participava quando ainda era criança. Ao observar alguns desses treinos, Daniel escolheu o esporte que depois seria sua profissão. “Eu ia escolher até futebol, mas quando eu vi os treinos de atletismo e fui participar, eu me identifiquei”, conta.

Daniel Carneiro é atleta. Foto: Lara Viana.

Aos 19 anos, o atleta recebeu a oportunidade de morar em São Paulo por mais de três anos. Porém, devido à uma lesão, Daniel retornou para Fortaleza em busca de sua recuperação. Após anos correndo em campeonatos brasileiros e estaduais, o seu engajamento no atletismo o transformou em referência para as pessoas da sua comunidade, principalmente para as crianças.

Ele também participa de projetos sociais que ajudam jovens e adultos a se tornarem corredores abrindo o mundo do atletismo para pessoas de todas as idades. Daniel conta que esse engajamento em projetos sociais surgiu quando era jovem. “Eu já tinha esse sonho e conforme eu entrei na faculdade, eu vi essa chance de agregar ao meu sonho e de transformar a vida de algumas crianças, tirar das ruas e colocando os estudos em primeiro lugar, além do esporte, que é muito importante”.

O profissional tem o seu próprio projeto social, no qual trabalha com um grupo de jovens que acabaram de terminar o Ensino Médio e objetivam alcançar a profissionalização e o crescimento no atletismo. “Tem gente de Maracanaú, da Parangaba. A gente se encontra 3 vezes na semana”, explica. O projeto conta com a formação de uma equipe para competir em corridas de rua e competições cearenses.

Futuro no esporte

O compromisso com o esporte possibilitou ao estudante de Educação Física o crescimento pessoal, social e profissional quando ainda era jovem. Edmilson Xavier de Moura, 19, traça agora os mesmos passos de Daniel. Aos 12 anos de idade, o estudante iniciou no mundo esportivo a partir da Escolinha de Esportes, projeto criado pela Universidade de Fortaleza (Unifor). “Nós praticávamos todos os esportes, até que eu me identifiquei bastante com o atletismo”, conta.

A partir desta modalidade, Edmilson conseguiu mudar o seu destino ao trabalhar com o que gosta. “O atletismo mudou minha vida de tal forma que eu serei sempre grato”, conclui. Atualmente, ele participa da equipe de atletismo organizada por Daniel, buscando sua profissionalização no esporte e um maior espaço nas corridas de rua e competições.

Corrida de Rua Unifor

No dia 2 de junho, domingo, acontecerá a Corrida de Rua Unifor. O evento já está na sua 27° edição e é aberto para pessoas a partir dos 18 anos de idade. Os interessados em participar já podem se inscrever no site do evento (unifor.br). Para funcionários, professores, alunos matriculados da Universidade de Fortaleza, pessoas com idade acima de 60 anos e portadores de deficiência física, o valor da taxa é de R$ 40,00. Para os demais, a taxa é de R$ 80,00.

Serviço
XXVII Corrida de Rua Unifor
Data: 2 de junho de 2019

Largada às 6h30 da Avenida Dr. Valmir Pontes, em frente praça do NAMI com chegada no Campus da Unifor

Inscrições: 26 de abril a 26 de maio de 2019
Mais informações: (85) 3477.3143 – 3477.3476 – 3477.3449

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php