Homecoming: o dia em que Coachella transformou-se em Beychella

Por Isabella Campos

O último trabalho de Beyoncé, o esperado documentário “Homecoming: A Film By Beyoncé” (traduzido para o português como “Baile de ex-alunos: Um filme de Beyoncé”) foi lançado na plataforma de streaming Netflix, em 17 de abril de 2019. Com mais de duas horas de duração, o filme mostra não apenas o show super produzido de uma das maiores artistas do mundo, mas também apresenta ao público uma Beyoncé além da estrela dos palcos, o lado mais “humana” da artista.

Poster oficial de Homecoming. Foto: Reprodução

A inspiração para o show popularmente conhecido como “Beychella” foram as universidades historicamente negras dos Estados Unidos da América (EUA). Durante o documentário, frases de autores negros como Toni Morrison, Maya Angelou, Marian Wright Edelman e Reginald Lewis, ficam em destaque. O filme mostra como Beyoncé materializa elementos dessas universidades em seu show, como a utilização da fanfarra, que é bem comum existirem competições nas universidades.

O documentário se alterna entre dois momentos, a performance e o processo criativo da mesma, onde mostra a recuperação de Beyoncé após a gravidez e sua luta para conciliar a rotina de ensaios e produção com a vida de mãe.

O show foi um grande divisor de águas, não apenas na carreira de Beyoncé, que estava voltando aos palcos depois de ser mãe dos gêmeos Sir e Rumi, mas também na história do festival Coachella. O show foi transmitido ao vivo pelo YouTube, filmado para um documentário, exigindo assim uma visão cinematográfica do momento e o áudio utilizado para um álbum ao vivo, que foi lançado no mesmo dia que o documentário.     

A mulher por trás do show

Beyoncé, que é creditada como roteirista, produtora e diretora do documentário, teve o intuito de levar a cultura negra para o palco do Coachella Valley Music and Arts Festival (popularmente chamado Coachella), em 2018, onde antes nunca havia recebido uma mulher negra como headliner, termo do inglês usado para indicar o “principal ato”.

A cantora foi quem coordenou cada pequeno detalhe da pré e pós-produção do show (e documentário), para que ficasse explícita a intenção cultural do ato. “Eu sinto que as pessoas queriam que eu ficasse na minha pequena caixa, mas era mais importante para mim levar a nossa cultura para o Coachella”, diz Beyoncé sobre a importância desse momento no filme.

Durante Homecoming, os espectadores podem mergulhar no processo exaustivo de criação da Beyoncé e sua equipe, que contou com quatro meses de ensaio apenas com o diretor musical, Derek Dixie e a banda. E, somente depois, foram acrescentados os bailarinos, para mais meses de preparação desse show milimetricamente planejado.

 

 

Ficha técnica 

“Homecoming: A Film By Beyoncé”
Ano: 2019
Produção: Netflix
Direção: Beyoncé Knowles-Carter

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php