A arte é uma necessidade para muitos estudantes da Unifor

 Por Mabel Freitas

Para muitos jovens, o ingresso no ensino superior significa deixar de lado hobbies como o desenho, a dança e o teatro. Entretanto, o grupo artístico UniArtis, da Universidade de Fortaleza (Unifor), fundado em 2016, permite encontros semanais para a produção artística. As atividades do grupo são ministrada por monitores, estudantes do curso de psicologia e recebem, em média, 20 alunos por semestre.

Ana Valêsca, concludente de  psicologia na Unifor e ex-docente da Universidade, professora de História da Arte na galeria Multiarte considera que o  grupo permite o contato com a arte e o abstrato dentro da Universidade. “Para quem é artista ou interessado em artes é um espaço de intercâmbio, de fluxo, de troca de experiências no processo artístico. A arte surge como nossa amálgama, e nessa experiência elaboramos as poéticas da memória, as emoções, os vínculos afetivos, além das questões conceituais e históricas de universo artístico”, comenta.

Matheus Maciel, estudante de Publicidade e Propaganda da Universidade de Fortaleza, participou do grupo durante o semestre de 2018.2 e explica que,  como pintor e artista plástico, teve experiências como desenhar com carvão, pintura e performance. Ele opina que “a arte é extremamente útil para inúmeras coisas independente do curso, ela permite uma visão mais ampla sobre o ser humano e nos dá empatia, o que se aplica a qualquer profissão”.

Paixão pelo Teatro

A arte é uma atividade de  liberdade de expressão e criatividade, por meio dela o ser humano desenvolve sensibilidade e empatia, fatores necessários para a execução de muitos afazeres no ambiente universitário. Entre apreciadores e produtores, a arte se tornou combustível na vida de jovens e adultos na Universidade, mesmo que não tenha ligação com o curso de origem.

Reginaldo Albuquerque, 24, estudante de Ciências Contábeis da Unifor, apesar de sempre ter se identificado com o teatro, acabou seguindo uma área completamente diferente desse seu interesse. “A arte do teatro é algo que eu carrego desde cedo, mas que, com o passar do tempo, acabei deixando-a de lado”, revela. Em 2017 ele foi convidado para fazer parte de um grupo de teatro, o “AbreAlas”, onde passou a se apresentar. O curso em que estuda tem pouco a ver com o teatro, mas lhe traz diversas oportunidades. “Acho Ciências Contábeis legal, mas a minha grande paixão é o teatro, ele nos possibilita sairmos de nós mesmos e de nossos padrões, sem se importar com julgamentos. O teatro faz parte da minha vida”, confessa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php