+5 Animes com empoderamento feminino

Por Thomás Regueira

O debate sobre empoderamento feminino vem aumentando nas obras de ficção. Alguns exemplos foram as estreias exitosas dos filmes “Mulher Maravilha” e “Capitã Marvel”, que retratam mulheres poderosas capazes de salvar o mundo sozinhas. No entanto, no Japão, as mulheres já são retratadas nos animes há muito tempo como fortes e independentes, sem necessitarem de uma figura masculina para desempenharem papéis relevantes nos enredos.

Desde os anos 1990, o gênero “Mahou Shoujo” (Garotas Mágicas, em tradução livre) é bastante popular no oriente e em outras partes do mundo. Mahou Shoujo são meninas, geralmente adolescentes, dotadas de poderes mágicos que lutam contra forças malignas para salvar o mundo, garantindo a paz e a justiça.

Apesar do gênero ser voltado principalmente para o público infantil feminino, algumas animações abordam temas de bastante relevância para a formação humana, como a importância da amizade e empoderamento feminino. Aproveitando o mês de Março, o mês da mulher, o Jornalismo NIC separou um 5+ de animes de garotas mágicas.

Sailor Moon

Sem dúvidas, Sailor Moon é uma das maiores referências do gênero e marcou a infância de muitas crianças dos anos 1990, tornando-se um dos animes mais populares de todos os tempos. No Brasil, a animação começou a ser exibida em 1996 pela extinta Rede Manchete.

Sailor Moon, também conhecido como “Pretty Soldier Sailor Moon” (Graciosa Guerreira Marinheira da Lua, em tradução livre do inglês), é uma animação baseada na série de mangás escrita e ilustrada por Naoko Takeuchi, entre 1992 e 1997.

Tsukino Usagi é uma menina de 14 anos de Tóquio, que encontra uma gata que lhe concede poderes mágicos, transformando-se, assim, na Sailor Moon. Com os poderes, Usagi e suas amigas Sailors Guerreiras devem salvar o mundo do mal e proteger a Princesa do Reino da Lua. O anime é repleto de girl power e representatividade LGBT.

Sailor Moon é uma das maiores referências de animes. Foto: Reprodução.

Sakura Card Captors

Sakura Card Captor é outra grande referência de animação do gênero de garotas mágicas, assim como Sailor Moon. Foi exibido no Brasil pelo canal Cartoon Network em 2000, em 2001 pela Rede Globo e, em 2008, pelo canal a cabo Boomerang. O mangá que deu origem ao anime foi publicado entre 1996 a 2000.

O enredo conta a história de Sakura Kinomoto, uma menina de 10 anos que acidentalmente liberta cartas mágicas aprisionadas dentro de um livro. As cartas se transformam em criaturas que agem por conta própria causando caos. Logo após o incidente, Sakura se depara com Kerberos, um ser parecido com um animal de pelúcia que concede poderes mágicos para que a menina capture as cartas. Com a ajuda de Kerberos, sua amiga Tomoyo e posteriores aliados, juntamente com o poder das cartas, Sakura captura as cartas libertas para garantir a segurança na sociedade.

Sakura foi exibido no Brasil no ano 2000. Foto: Reprodução.

Puella Magi Madoka Magica

Esse anime, em comparação com os citados anteriormente, é bastante atual. Ele foi exibido no Japão entre Janeiro e Abril de 2011. Madoka Magica tem uma abordagem bastante diferente em relação aos mesmos do gênero, algo mais sombrio e que também se enquadra como terror psicológico.

A história gira em torno de Madoka Kaname que, juntamente com sua amiga Sayaka Miki, encontra uma criatura chamada Kyubei. Kyubei oferece um contrato que faz com que um desejo delas seja concluído e para que também ganhem poderes mágicos. No entanto, elas terão que combater monstros intitulados como “bruxas”, que se alimentam e se originam das angústias das pessoas.

Ao longo do anime, as amigas conhecem outras garotas mágicas e começam a entender mais sobre a função que lhes foi oferecida. Há um grande plot twist  – mudança radical na direção de uma narrativa -, que tira toda a “fofura” do desenho e faz com que este não seja recomendado ao público infantil. Madoka Magica se encontra disponível na Netflix.

Este anime tem um grande plot twist. Foto: Reprodução.

Kill la Kill

Esse é um anime que também se diferencia dos esteriótipos dos animes de garotas mágicas. Ele não é tão colorido e cheio de brilho quanto os outros, porém se enquadra dentro do gênero. O anime estreou em outubro de 2013, no Japão, e foi exibido até março de 2014.

A história é sobre Ryuko Matoi, uma menina que pretende se vingar da morte do seu pai, o que a coloca em conflito com a presidente do Conselho Estudantil da Academia Honnouji, Satuski Kiryuin, e o império de moda administrado pela mãe de Satsuki. Nessa escola, assim como na sociedade, as pessoas são divididas de acordo com o uniforme que usam.

Para ajudar Ryuko em sua missão, ela conta com uma lâmina capaz de cortar uniformes poderosos, o “senketsu”, um poderoso uniforme que dá poderes a Ryuko. O anime não é somente um grande compilado de duelos, mas também é uma forte crítica à sociedade. Apesar de muitos personagens serem bastante sexualizados, o enredo do anime se desenrola muito bem e retrata as mulheres em posição de destaque e liderança, que fogem dos estereótipos de “fofas e delicadas” comum em animes. Kill la Kill está disponível na Netflix.

O anime se diferencia dos esteriótipos. Foto: Reprodução.

Guerreiras Mágicas de Rayearth

Esse anime, assim como Sailor Moon e Sakura Card Captors, também foi exibido no Brasil, através do canal de televisão SBT. Ele é baseado na série de mangás produzida pelo grupo CLAMP, publicada entre 1993 a 1996.

Durante uma excursão escolar à Torre de Tóquio, as estudantes Lucy Shidou, Marine Ryuzaki e Anne Hooji são teletransportadas para o mundo de Cefiro, convocadas pela Princesa Esmeralda para se tornarem garotas mágicas e salvarem Cefiro da destruição causada por Zagato. Para isso, elas devem adquirir as armas necessárias e procurar seus espíritos gênios para que consigam melhorar seus poderes, derrotar Zagato e retornarem para Tóquio.  

O anime é baseado em uma série de mangás. Foto: Reprodução.

Um comentário em “+5 Animes com empoderamento feminino

  • 18 de maio de 2019 em 11:28
    Permalink

    Opa, será que da mesmo pra viver de desenhos. Eiste algum curso que ensina isso. No mais, eu amei seu site. Abraço e sucesso

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php