“Mulher Maravilha: Terra Um” e a revisitação do ícone

Por Alexandre Bessa

A série de graphic novels – histórias mais longas e exclusivas de personagens de quadrinhos – “Terra Um”, da DC Comics, tem como objetivo recontar as narrativas de seus heróis mais icônicos, alterando certos aspectos e colocando novos elementos em suas mitologias. Na série, as histórias são edições especiais e não fazem parte do cânone oficial dos personagens. O escritor Grant Morrison se arrisca a reinventar a origem da Mulher Maravilha, com a sua polêmica versão da heroína.

A Mulher Maravilha de Morrison vive em uma ilha habitada por mulheres. Foto: Reprodução.

Diana Prince, mais conhecida como Mulher Maravilha, é uma princesa Amazona que viveu toda sua vida na ilha de Themyscira, povoada apenas por mulheres. A chegada de um estranho ao local faz com que a princesa Diana queira desbravar o resto do mundo, até então desconhecido por si. Em parceria com Yanick Paquette na edição, Morrison, que é conhecido por utilizar toques de filosofia e metalinguagem em suas obras, tenta contar o enredo de forma mais contida. O autor retorna para a década de 1940 e aborda aspectos como a submissão e emancipação da mulher.

Dessa forma, ele insere elementos visuais que expõem a submissão feminina e a violência sofrida em decorrência da feminilidade, como a retratação da heroína por meio de uma figura provocadora e sensual, constantemente vítima de repressão social. Este é o aspecto polêmico da escolha de narrativa do autor. Ao tentar utilizar estereótipos visuais para expressar seu ponto de vista sobre a história, alguns o acusaram de reforçar esses padrões estéticos.

A arte da graphic novel utiliza paletas de cores vívidas e tons agradáveis, que mostram a natureza da ilha de forma diversificada. Por ser uma história de origem, o autor não esquece de retratar os elementos mais conhecidos da mitologia da Mulher Maravilha, como a jornada de Diana enquanto a maior guerreira de sua tribo, até seu primeiro contato com um humano que acaba acidentalmente parando por lá – Steve Trevor, seu primeiro interesse amoroso.

Morrison e Paquette refletem sobre a função da personagem dentro e fora das histórias em quadrinhos, lidando indiretamente com a metalinguagem, nos mostrando a personagem como guerreira e instrumento de busca pela igualdade entre gêneros. “Mulher-Maravilha: Terra Um” é uma grande história introdutória moderna e reverenciosa da heroína.

Transgressão

O autor buscou referências visuais Foto: Reprodução.

O autor faz a escolha de utilizar estereótipos visuais para intensificar sua narrativa. Se tal escolha teve como objetivo questioná-los, foi interpretada também como forma de reforçá-los. A Mulher Maravilha desta história cai no clichê de ter sempre os olhos semicerrados, boca semiaberta e um olhar de sensualidade. Não é por acaso que, para criar as maçãs do rosto de sua Diana, o autor buscou a referência contemporânea da atriz de filmes adultos, Sasha Grey.

Mesmo que as mulheres amazonas sejam conhecidas por sua força e beleza, muitos fãs da personagem criticaram o fato de que ninguém consegue ser sensual o tempo todo, aspecto que, segundo os fãs, Morrison tenta forçar em sua obra. A verossimilhança da obra é questionada, porém, quando se trata de histórias de super heróis, a semelhança com a realidade é sempre difícil de ser retratada.

Grant Morrison também procura apresentar aspectos até então pouco explorados, como a sexualidade das Amazonas. O autor é o primeiro a sugerir que as habitantes  de Themyscira seriam lésbicas, pois vivem em uma ilha povoada apenas por mulheres. Essa tendência de explicar e desconstruir os personagens, embora possa ser criticado por alguns, é o um dos motivos da criação da coleção “Terra Um”, da Dc comics, então faz sentido que esteja presente nas obras.

“Mulher Maravilha: Terra Um” é uma importante e bela história alternativa de introdução da personagem. Polêmicas à parte, a história nos mostra que é relevante que os personagens de quadrinhos sejam revisitados e desconstruídos, para que mais pessoas também possam se identificar com eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php