Voz para garotas rebeldes

Por Melissa Carvalho

O podcast “Histórias de ninar para garotas rebeldes” traz contos contemporâneos com histórias de mulheres empoderadas, narrados por mulheres fortes. Baseado no livro de Elena Favilli e Francesca Cavallo, o inspirador podcast é produzido pela B9 em parceria com o Bradesco. Já são 11 os episódios produzidos. Cada um conta a história de uma mulher à frente do seu tempo. Eles encorajam meninas e mulheres a sonharem e continuarem lutando. Harriet Tubman, Frida Khalo e Virginia Hall foram algumas das protagonistas desses contos.

Vozes de mulheres de destaque dão vida às histórias dessas rebeldes extraordinárias. Daniela Mercury, Estela Renner e Jout Jout já foram narradoras do podcast. Acompanhadas de efeitos sonoros, os ouvintes são envolvidos pela própria história e as curiosidades da trajetória dessas mulheres que não desistiram.

Ada Lovelace

Narrado pela empreendedora Camila Achutti, o episódio conta a história de Ada que desde criança, era apaixonada por máquinas e pássaros. O podcast conta como ela tentou construir sua própria máquina voadora e sobre as anotações guardada com carinho em um livro chamado “Flyology”. Narra também a parceria e amizade de Ada com o matemático Charles Babbage, que foi um apoio importante para ajudá-la a escrever a primeira linguagem de programação.

 

Yusra Mardini

Nascida em Damasco, em 1998, na Síria, Mardini sempre gostou de natação. Após ter sua casa bombardeada, durante a guerra, Yusra e família precisaram sair do país, em navio de refugiados. Durante o trajeto o motor quebrou, Yusra e as irmãs precisaram puxar o barco à nado. Quando chegaram na Alemanha, as garotas foram consideradas heroínas. Agora, Yusra participa de uma das primeiras equipes de refugiados a competir nas Olimpíadas. A voz de Poliana Okimoto deu voz à essa história. Poliana é maratonista aquática e foi a primeira mulher brasileira que conquistou uma medalha olímpica, em 2016.

 

Grace O’Malley

Lido por Jout Jout, o episódio conta a história de Grace O’Malley. Forte e corajosa, a irlandesa foi uma grande pirata e batalhou pelo seu povo e seu princípios. Para encontrar com a Rainha Elizabeth I, Grace navegou pelas águas da Grã-Bretanha, até o Rio Tamisa. A pirata conseguiu convencer a Rainha à apoiar seu povo politicamente e ajudar a recuperar seu território tomado por ingleses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php