Curso de Estética oferece atendimento gratuito

Por Carolina Melo

O mercado da estética tem crescido nos últimos anos. De acordo com um levantamento realizado em 2018 pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos junto com o Instituto FSB Pesquisa, o Brasil é o terceiro país que tem maior mercado consumidor em relação a produtos de beleza e estética. O curso de Estética e Cosmética da Universidade de Fortaleza (Unifor) oferece atendimento gratuito, em laboratórios na própria universidade, próximo ao bloco X.

“Hoje nós temos tratamentos continuados, em que esses pacientes são acompanhados quase durante o semestre inteiro. Também temos atendimentos pontuais, como por exemplo atendimentos de limpeza de pele, de massoterapia, drenagem linfática”, explica Bárbara Matos, 32, professora e coordenadora do curso de Estética e Cosmética. O serviço é oferecido para alunos, funcionários e, também, o público externo à universidade. O atendimento é realizado pelos alunos do curso, com supervisão dos professores, desde o primeiro semestre. Inicialmente é  feita uma avaliação sobre as reais necessidades do paciente, para que ele seja encaixado no tratamento ideal para o seu problema.

Laboratório de terapia capilar e maquiagem, sala 5EC. Foto: Victória Veloso.

As inscrições para o atendimento pontual ou continuado são abertas e divulgadas pelo centro acadêmico na própria universidade e pelas redes sociais. “É necessário que o interessado entre em contato e faça a inscrição com a técnica, mediante o horário e número de vagas, para que sejam direcionados”, completa a professora. Os produtos utilizados são cedidos por empresas parceiras, como Adcos, BioAge, Dávines, Vult, responsáveis pelo suprimentos nos laboratórios.

Josy Coelho, secretária do Centro de Ciências da Saúde, realiza tratamento estético facial com sessões de radiofrequência, para prevenir o envelhecimento, e sessões de perda de gordura abdominal. “O atendimento é ótimo, os professores acompanham de perto e você se sente segura. É como estar realmente em uma clínica, não sinto diferença por ser em um atendimento na universidade. As alunas são todas muito interessadas e percebi o resultado a longo prazo”, conta a secretária, que pretende dar continuidade ao tratamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php