Excesso de atividades sobrecarregam universitários

Por Cadu Vasconcelos

Em meio a tantas cobranças, a vida universitária se torna corrida. Acadêmicos demonstram preocupação e estresse, por conciliar tantas atividades e desenvolvem problemas de saúde. Segundo pesquisa da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), realizada em 2016, 30% dos alunos de graduação de instituições federais do Brasil procuraram atendimento psicológico. Os motivos são vários, desde pressão familiar até a rotina acelerada da universidade.

O acúmulo de atividades diárias, exigidas pela faculdade e as obrigações da vida moderna, gera ansiedade nos jovens. “Há uma diferença entre o que almejamos e o que realmente conseguimos enfrentar”, explica Terezinha Façanha, 58, professora do curso de Psicologia da Unifor. Esse comportamento precisa receber atenção, já que pode provocar problemas de saúde. No ano passado, a Frente Universitária de Saúde Mental usou um debate sobre a condição psicológica de estudantes de universidades em uma campanha visual, direcionada para o Facebook. Na campanha foram divulgadas várias imagens que propõem uma reflexão sobre o tema.

Existem outras relações que precisam ser cuidadas, como o equilíbrio emocional e o isolamento, relacionado com a forma dos estudantes lidarem com situações inesperadas. A falta desse equilíbrio remete a decisões impulsivas, definidas na pressão do cotidiano. “Muitas pessoas se isolam para lidar com a ansiedade. Essas manifestações podem ficar mais rigorosas quando sintomas físicos começam a aparecer, como dor de cabeça, gastrite e a imunidade enfraquecida”, explica a profissional.

“Eu mesmo me cobro”

O mercado de trabalho e o medo de falhar, após a formatura, são os fatores que mais causam ansiedade em Alexandre Gabriel, 20, estudante de direito. “O estresse, às vezes, atinge minhas relações familiares e amizades. Já a ansiedade me tira noites de sono. Eu mesmo me cobro por um bom desempenho na vida acadêmica”, destaca.

Geyson Gomes, 22, estudante de Direito. Foto: Cadu Vasconcelos.

De acordo com Geyson Gomes, 22, estagiário e estudante de direito, é necessário ter organização para conseguir conciliar as atividades, mas também é preciso otimismo. “Provas e responsabilidades do estágio me sobrecarregam e me deixam pressionado. Também interferem em outras áreas da minha vida, como o relacionamento com a família. Fico muito estressado e agressivo quando estou sob pressão. Porém, faço o que posso para levar adiante, tento me acalmar e pensar positivo, procuro conversar e me abrir sobre o que estou sentindo e pensando”, relata Gomes.

Muitos alunos têm dúvidas do que podem se tornar, mesmo durante a graduação, é importante pensar positivo e organizar os pensamentos. Estresse e incertezas são fortes obstáculos. É necessário criar maneiras de organizar as atividades. “Uma das formas de lidar com essa tensão é criar um espaço de reflexão para que o jovem possa se expressar. É importante que ele saiba o que está vivendo para planejar a sua vida e   conseguir se projetar futuramente”, acrescenta Façanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php