Marcas autorais tornam produtos sustentáveis acessíveis

Por Carolina Melo

A conscientização sobre o meio ambiente no Brasil tem começado a se popularizar entre os consumidores. De acordo com os Institutos Akatu e Ethos, 5% da população brasileira possuem comportamento mais sustentáveis de consumo. Para atender a este mercado, pequenas e grandes empresas estão apostando em criações que causem menos danos ao meio ambiente. A onda do slow fashion, produção concentrada em uma ideologia sustentável, é exatamente o oposto do fast fashion que conhecemos, com preços baixos e produção exacerbada sem preocupações com os impactos ambientais.

Ateliê da loja Idisáy. Foto: Daniel Augusto.

A produção handmade (da tradução para o português “feita à mão”) tem auxiliado no crescimento de novas marcas ecológicas e alavancado a carreira de estilistas autônomos quando apresentam trabalhos com temática do consumo consciente. O preço da mão de obra é calculado de acordo com o custo feito naquela produção de caráter artesanal e nem sempre o custo-benefício é válido para o consumidor. Os preços altos de peças sustentáveis fazem o consumidor médio desistir de adquirir um produto ecológico e manualmente produzido.

Buscar marcas que possuam o propósito de unir o preço justo com o poder de aquisição do público é importante para um custo-benefício ideal. Para chegar a esse resultado, é preciso dedicação e desempenho manual.

Marcas autorais e preços acessíveis

Társi Peixoto, criadora da marca Idisáy. Foto: Lucas Barbosa.

Társi Peixoto, 34, artista plástica, idealizou a marca “Idisáy”, destinada à produção de bolsas veganas e sem pretensão inicial de se tornar uma empresa. “Inventei o nome Idisáy a cinco anos e fiquei levando como hobby. Mesmo que já tenha se tornado uma marca, ainda é totalmente orgânica e inicial, pois estou aprendendo a administrar”, admite.

O gosto pessoal por sustentabilidade, assim como seu amor por plantas e natureza, herdados da mãe, influenciou Társi a desenvolver a temática consciente em suas produções. “Com certeza, tem a ver com amor pela natureza, respeitar os ciclos e saber que a natureza é nossa alma. Tudo é conectado. Uma bolsa é vida, uma pintura é vida”, comenta.

A “Idisáy” funciona no ateliê da casa de Társi, mas suas peças estão disponíveis em lojas parceiras, como a Elabore Collab, a Bibiquines e a Laguna Brasil. Os clientes podem se dirigir ao próprio ateliê para efetivar compra. As peças também são entregues pessoalmente, dependendo da localidade em Fortaleza, ou enviados pelos Correios. Todas as bolsas são confeccionadas em couro sintético, com qualidade semelhante ao couro ecológico, que é mais resistente e não desgasta com facilidade.

Quando questionada sobre o preço, a artista explica que tenta ser justa com o seu trabalho. “Sei quanto vale minhas horas dedicadas e a quantidade de material o qual estou investindo. Considero o preço da Idisáy intermediário, comparado a outras marcas que conheço. Eu compreendo o preço elevado de algumas marcas, pois depende do público o qual ela se destina. Tento equilibrar e parcelar, e não pretendo lidar com preços bastante altos”, acrescenta.

Sabrina Albuquerque, idealizadora da Criôla. Foto: reprodução.

Já Sabrina Albuquerque, criadora da “Criôla – Feito à mão”, relata que sua paixão pelo macramê, técnica manual de bordar fios, foi o pontapé inicial. A marca é destinada à produção de sandálias e acessórios. “Me apaixonei pelo macramê e comecei a fazer colares para mim. As pessoas começaram a encomendar e tive a ideia de criar a conta no Instagram. Sempre fui interessada em sustentabilidade”, afirma.

Toda a produção é feita à mão. As sandálias passam primeiro por Sabrina, com a confecção do macramê, em seguida para o sapateiro, que realiza a montagem e colagem, depois volta para a criadora, para completar o acabamento. Os acessórios, são produzidos por Sabrina do começo ao fim.

A idealizadora da marca comenta que faz o possível para que os preços sejam acessíveis. “Não acho que temos um preço tão acessível, mas como a mão de obra maior é minha, às vezes dou uma reduzida no meu valor para poder ter esse preço não tão alto”, confessa.

Serviço

Idisáy

Endereço: Ateliê em Rua Aldofo Siqueira 42, bairro Joaquim Távora, próximo à Sefaz da Av. Visconde do Rio Branco. 

Instagram: @idisay_

Criôla – Feito à mão

Site: http://criolafeitoamao.iluria.com/

Instagram: @criola_feitoamao

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php