Teatro de rua promove transformação social

   Alexandre Bessa

Já se tornou comum em algumas esquinas de Fortaleza, ao se parar o carro para aguardar o semáforo mudar de cor, assistir a um rápido show de jovens acompanhados por caixas de som dançarem na frente do veículo, na esperança de ganharem alguns trocados. Uma outra forma de intervenção de rua é o teatro.  Entre os grupos e indivíduos que são protagonistas da encenação artística de rua em Fortaleza, a Associação Teatral Populart tem um papel fundamental. O grupo, formado por jovens do bairro José Walter, em Fortaleza, não tem fins lucrativos e já atua no cenário cearense há 25 anos. Ele é o responsável por uma das principais montagens da apresentação de páscoa “A Paixão de Cristo”, no Ceará, que é considerada a maior de toda a capital cearense.

Espetáculo “Paixão de Cristo”. Foto: Reprodução

Segundo Expedito Garcia, 25, atual diretor geral do grupo, uma da principais missões é incentivar adolescentes e jovens a conhecerem o “maravilhoso mundo” das artes e da cultura, promovendo formação artística, cultural, social, de platéias e ainda impulsionar a geração de emprego. “Além da ‘Paixão de Cristo’, chamada por nós, da Populart, de Gólgota, também realizamos quadrilhas de festa junina, autos de Natal, festa a fantasia, e uma escola própria de teatro”, explica.

Um desses jovens, que recentemente conheceu o mundo das artes, é Ayron Andrew, 19. Ele relata que morou a vida toda no interior do Amazonas e que há apenas dois anos mudou-se para Fortaleza. “Estar no grupo me possibilitou crescer não apenas como pessoa, mas também como artista. É revigorante perceber que, além de mim, há ainda toda uma nova geração de artistas e atores nascendo a cada dia que passa”, diz o jovem, que conheceu o grupo através do diretor, Expedito Garcia.

É revigorante perceber que, além de mim, há ainda toda uma nova geração de artistas e atores nascendo a cada dia que passa (Ayron Andrew)

Arte no dia a dia

Celine Evelin estuda Teatro na Universidade Federal do Ceará. Foto: Alexandre Bessa

Para Celine Evelin, 18, o teatro é uma importante ferramenta de transformação da sociedade. Ela, que é aluna do curso de Licenciatura em Teatro na Universidade Federal do Ceará (UFC), também é membro do Grupo Teatral Populart e, atualmente, começou a pensar nos seus próprios projetos de teatro de rua. “Eu acho que é muito importante para que nós, que fazemos arte, possamos ter em mente o quanto isso tem o poder de transformar as pessoas no seu dia a dia. A primeira vez que pisei em um palco foi incrível, uma sensação sem igual, e eu gostaria que todos pudessem sentir o mesmo”, revela a artista.

Segundo ela, iniciativas como esta também são uma importante forma de afastar os jovens de condutas negativas. “Um dos meninos que participa aqui, do grupo, era envolvido com tráfico de drogas. Após meses em contato com as artes cênicas, ele mudou totalmente. Não anda mais com as mesmas companhias de antes e agora se dedica totalmente ao teatro, onde, segundo ele, encontrou seu verdadeiro potencial”, afirma.

Quando questionada sobre o futuro nas artes, Celine diz que, no momento, ela e um amigo estão trabalhando juntos em um texto original baseado na obra de “A Feira”, da autora Lourdes Ramalho. Recentemente, também teve uma participação em um curta- metragem, sua primeira experiência com o audiovisual. Ela diz que, apesar de tudo, deseja se tornar professora de artes. “O ‘ser criança’ hoje em dia precisa ser mais valorizado do que nunca, ainda mais em duras realidades de vida, onde muitos se encontram”.

Serviço

Você pode conhecer mais sobre a Associação Teatral Populart acessando a página deles no Facebook: https://www.facebook.com/AssociacaoTeatralPopulart/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

css.php